Santa Luzia

Reclamações no 1º dia útil de integração temporal no TI Santa Luzia


Os passageiros se queixaram sobre falta de informação em relação ao procedimento no TI

Priscila Miranda
Priscila Miranda
Publicado em 12/08/2019 às 13:38
Reprodução/Rádio Jornal
FOTO: Reprodução/Rádio Jornal
Leitura:
Desde o último sábado (10), o Terminal Integrado de Santa Luzia, no bairro da Estância, na Zona Oeste do Recife, está operando em integração temporal com a estação de metrô. Com a mudança, cerca de três mil usuários que passam diariamente pelo local só poderão entrar nas estações com o uso do Vale Eletrônico Metropolitano (VEM). Nesta segunda-feira (12), primeiro dia útil da novidade, usuários se queixaram da medida.

Pego de surpresa, o funcionário público José Wellington reclamou da falta de informação em relação a mudança. “É difícil a gente se adaptar a uma mudança assim, em cima da hora, sem comunicação. Houve o planejamento deles, mas eu acho que faltou uma preparação para o povo. Chegar assim, de surpresa, fica difícil”, disse.

O coordenador de operações do Grande Recife, Mário Sérgio Cornélio, explica que quem ainda não tem o cartão VEM pode preencher o cadastro e recebê-lo gratuitamente na própria estação. Ao recebê-lo, o usuário vai precisar apenas por créditos.

"O usuário usa a máquina do VEM, paga o cartão no valor de R$ 4, ou então pode vir aqui na estação Santa Luzia, que tem pessoas cadastrando. Basta vir com a identidade que consta o nome da mãe, e com seu CPF. Esse usuário terá seu cadastro realizado e receberá gratuitamente o cartão VEM comum”, esclareceu.

Controle do sistema

O superintendente da CBTU Recife, Leonardo Vilar, relata que a mudança visa estabelecer um maior controle no sistema metroviário do Recife.

"A gente tinha um número muito grande de quem entrava no sistema, que não era contabilizado. Não pagavam nada, nenhuma passagem. Agora a gente passa ter um controle sobre essas pessoas. Existe também o controle do vendedor ambulante. Eles entravam pelo portão dos ônibus, e adentravam no sistema do metrô sem nenhum controle. Então a partir de agora a gente passa a ter um controle em todos esses aspectos”, afirmou Vilar.


Mais Lidas