SAÚDE

Hospital da Mulher do Recife inaugura serviço de alto risco nesta terça


Serão 20 leitos de UTI, 27 leitos de Unidade de Cuidados Intermediários (UCI) e 21 leitos de enfermaria de gestação de alto risco

Publicado em 17/12/2019 às 10:39
Diego Nigro/ JC Imagem
FOTO: Diego Nigro/ JC Imagem
Leitura:

O Hospital da Mulher do Recife (HMR), no bairro do Curado, Zona Oeste da cidade, inaugura nesta terça-feira (17) a Unidade de Terapia Intensiva (UTI), com 68 leitos de alto risco. Ao todo, serão 20 leitos de UTI, 27 leitos de Unidade de Cuidados Intermediários (UCI) e 21 leitos de enfermaria de gestação de alto risco.

Segundo o secretário de Saúde do Recife, Jailson Correia, os novos leitos serão destinados a mulheres que necessitem de tratamento em UTI ou que precisem de tratamento clínico no curso da gravidez, além de atender aos recém-nascidos graves, que precisam de assistência especializada.

“Teremos 10 leitos de UTI neonatal para atender os bebês, onde as crianças podem ter, inclusive, a ventilação assistida, com respirador artificial. Temos também 27 leitos de unidade de cuidados intermediários, incluindo unidade de cuidado intermediário canguru, onde o bebê prematuro pode ficar pele a pele em contato com a mãe até recuperar peso e ir para casa", detalhou Jailson.

Com a oferta do novo serviço, a capital será o primeiro município de Pernambuco a ter um serviço de alto risco nas especialidades de ginecologia, obstetrícia e neonatologia. Ainda de acordo com Jailson, o Hospital da Mulher agora passa a ter plena capacidade para atender a população recifense.

"Serão 150 leitos a disposição da população. O Hospital da Mulher já bateu a marca de um milhão de atendimentos, sendo caracterizado por atendimento humanizado, olhando também a tecnologia. Agora passamos a ofertar os serviços de alto risco. As mulheres e bebês que vierem para cá, podem ter uma complexidade ainda maior. O atendimento desses leitos será feito de forma regulada, com as pessoas sendo encaminhadas das maternidades ou dos berçários onde houver bebês de risco", disse.

A obra tinha previsão para ser entregue em setembro. Jailson relatou que o atraso aconteceu devido à alta complexidade do serviço ofertado. ”São necessárias todas as medidas para que se possa ter uma equipe capacitada e treinada, com os equipamentos em pleno funcionamento", concluiu o secretário de Saúde do Recife.

Ouça o flash de Juliana Oliveira:


Mais Lidas