Vítimas de deslizamento de barreira são sepultadas no dia de Natal

O desastre aconteceu na madrugada desta terça (24), em Dois Unidos, Zona Norte do Recife

DESASTRE
Vítimas de deslizamento de barreira são sepultadas no dia de Natal

Érika Virgínia Abade e seu filho Erick Henrique foram enterrados na manhã desta quarta (25) - Foto: Filipe Jordão/JC IMAGEM

Rádio Jornal

 

Foram enterrados na manhã desta quarta-feira (25), os corpos de Érika Virgínia, de 18 anos e de seu filho Érik Júnior, de dois meses, no Cemitério Municipal Parque dos Palmeiras, no município de Palmares, Zona da Mata Sul de Pernambuco. Os dois foram vítimas do deslizamento de barreira, na madrugada desta terça (24), no bairro de Dois Unidos, Zona Norte do Recife,  que deixou sete pessoas mortas.

Amiga de Érika Virgínia, Maria Clara Santos contou que as duas tinham planos de passar as festas do final desse ano juntas. "Mês passado ela tinha vindo com o filho, pra família dela ver. Sendo que, nós, estávamos ocupadas com faculdade e aí não conseguimos no ver. Quando foi agora, no final do ano, ela disse que  ia vir com o bebê dela pra gente  ver. Mas aí aconteceu essa fatalidade, essa tragédia", disse ela.

Maria Clara também lembrou que a amiga fazia questão de transmitir a felicidade dela para outras pessoas. "Ela era uma pessoa muito feliz. Mesmo que a gente estivesse triste, ela sempre estava alegre e nos mostrando que é bom viver. Ela sempre teve isso em mente. Vivia como se fosse o último dia", finalizou. 

Outras vítimas

Também está sendo sepultado, no Cemitério de Santo Amaro, na tarde desta quarta (25) o corpo de Claudia Bezerra, de 47 anos. Ela é uma das sete vítimas do deslizamento de barreira. Suely Holanda, prima de Claudia, afirmou que a parente era sempre muito generosa. "Ela sempre se fazia presente, uma pessoa extrovertida. Sempre procurou ajudar todo mundo. Às vezes ela  ficava sem ter as coisas, mas ajudava a pessoa do lado. Contanto que aquela pessoa estivesse bem. Muito generosa", ressaltou Suely. 

Outras duas vítimas foram veladas e enterradas na tarde de hoje. Sob forte comoção, parente e amigos deram o último adeus a Lucimar Alves, 50 anos e sua neta Daffyne Kauane Alves, de 9 anos, no Cemitério de Santo Amaro. O marido da vítima, Otoniel Simião, relembrou os momentos que antecederam a queda da barreira. "Eu lembro que fui me deitar perto da meia-noite. Houve um tumulto muito grande no momento em que a barreira deslizou, como se tivesse um avião caindo em cima da nossa casa", disse ele. 

"Eu não pude socorrê-la (Lucimar) porque tinha muito barro em cima de mim. Quando começaram a cavar e me encontraram, eu disse: "tem gente aqui". Conseguiram me resgatar, e eu continuei a dizer: "ela está aqui", mas no momento eu estava muito debilitado", contou Otoniel. Ele foi levado para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Nova Descoberta, também na Zona Norte do Recife.

Deslizamento

A tragédia que aconteceu na madrugada da Véspera de Natal deixou sete pessoas mortas. As duas últimas vítimas fatais foram encontradas às 11h30 dessa terça-feira (24). As vítimas fatais foram identificadas como: Emanuel Henrique de França, de 25 anos, Érika Virgínia, 19, Érick Júnior, dois meses, Lucimar Alves, 50, Daffyne Kauane Alves, 9, Claudia Bezerra, 47, e Lia de Oliveira, 45.

Ouça a matéria de Alexandre Torres

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.