Família de maquiador acredita que ele foi morto por homofobia

A tia do jovem acredita que, além do envolvimento com drogas, o fato de Henrique ser homossexual pode ter sido o motivo do crime

VIOLÊNCIA
Família de maquiador acredita que ele foi morto por homofobia

Henrique Antonio Alves de Deus tinha 24 anos e trabalhava como maquiador - Foto: Reprodução/Facebook

A família do maquiador e cabeleireiro assassinado na terça-feira (21), na cidade de Moreno, no Grande Recife, chegou cedo ao Instituto de Medicina Legal (IML) para liberar o corpo da vítima. Entre os suspeitos que já foram presos, estava a melhor amiga e um primo de Henrique. A tia, Ednalva da Silva Alves, acredita que o sobrinho foi assassinado não só por ser usuário de drogas, mas também por causa da orientação sexual dele.

"A gente quer saber o motivo da morte dele o mais rápido possível. Só tenho que pedir muito a Deus pela minha família que está muito abalada, principalmente a minha irmã. Nesse país que a gente vive, as pessoas fazem de tudo para não ter homossexual. Isso tem que acabar. Nós temos que aceitar o ele é, o que as mulheres são. Vamos aceitar. É a decisão deles e a gente tem que apoiar", afirmou.

O caso

O maquiador e cabeleireiro foi assassinado com 59 facadas, teve a cabeça arrancada e exposta no meio da rua. O crime foi no bairro do Xingú, próximo ao Centro do município. O corpo de Henrique Antônio Alves de Deus será liberado ainda nesta manhã. O velório acontece na igreja que fica no bairro de Santo Antônio, em Moreno.

Ouça o flash de Isa Maria:

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.