ECONOMIA

Sindilojas acredita que prejuízo no setor será de até 80% devido ao coronavírus


Governo de Pernambuco anunciou o fechamento de shoppings, bares, restaurantes, lanchonetes e comércios de praia para frear coronavírus

Ísis Lima
Ísis Lima
Publicado em 19/03/2020 às 16:54
Reprodução/TV Jornal
FOTO: Reprodução/TV Jornal
Leitura:

A anúncio do Governo de Pernambuco do fechamento de shoppings, salões de beleza e serviços semelhantes, clubes sociais, bares, restaurantes, lanchonetes e comércios de praia a partir do próximo sábado (21) repercute. A medida foi anunciada nesta quinta-feira (19) e é uma estratégia para evitar a propagação do vírus no Estado.

O presidente do Sindicato dos Lojistas do Comercio de Bens e Serviços do Recife (Sindilojas), Frederico Leal, acredita que o governo acertou. Ele lembrou que esse é um momento difícil e pondera que os governos precisarão tomar outras decisões. “Vai ter que ter uma série de medidas tanto do Governo Federal como estadual e municipal. Nós estamos trabalhando para minimizar e auxiliar o lojista naquilo que ele realmente precise ao longo desse tempo. Não tem jeito. A gente perde agora para ganhar, se Deus quiser, no futuro diminuindo esse prazo da disseminação desse vírus”, avaliou.

Ele comentou as medidas que já foram prometidas para ajudar os comerciantes. “A gente já teve algumas medidas à nível federal como adiamento do Simples. Na parte estadual já foi feito o pleito ao governo do estado na questão dos parcelamentos dos impostos estaduais e prorrogação. Acredito que nós vamos ser atendidos”, disse. “Houve um pedido do governo estadual frente ao Banco do Nordeste para realmente viabilizar um empréstimo para essa calamidade pública para os lojistas”, completou.

Segundo Frederico Leal, nesta sexta-feira (20), será realizada uma reunião com o sindicato dos comerciários. “A gente vai consolidar algumas medidas que serão muito importantes para os lojistas como antecipação de férias sem haver necessidade daquele aviso de 15 a 30 dias. Vamos propor o parcelamento do pagamento das férias e [usar] o banco de horas emergencial”, comentou.

E o prejuízo já está sentido pelos lojistas. “Começou essa semana com 50% e já vai para 70%. E vai acelerar isso (...) Do jeito que vai, a queda vai ser entre 70% a 80% no faturamento. Não há lojista que aguente isso durante tanto tempo”, destacou.

Ouça a entrevista completa:

Comércio no centro do Recife

O comerciante José Rubens de Araújo demonstra muita preocupação diante do comunicado do governador Paulo Câmara, que pediu para a população evitar sair de casa. A orientação é que as pessoas só circulem pelas ruas quando for realmente necessário.

Ele tem três boxes no Mercado de São José, onde vende diversos artigos de artesanato. Mesmo dentro do grupo de risco, com 75 anos, ele criticou a determinação do Governo de Pernambuco pois reclama que essa medida vai afetar a renda dos trabalhadores. “Eu nunca na minha vida vi conduta como essa (...) Sabemos que é uma pandemia mundial, mas muito pior do que vírus é passar fome”, comentou.

Pandemia

A Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou pandemia de Covid-19, no dia 11 de março. A mudança de classificação não se deve à gravidade da doença, e sim à disseminação geográfica rápida que o Covid-19 tem apresentado. No entanto, o número de casos e de óbitos tem crescido de forma rápida.

No Brasil, nesta quinta-feira (19), o Brasil confirmou o sétimo óbito pela doença. Segundo um levantamento da universidade norte-americana Johns Hopkins, mais de 220 mil pessoas foram infectadas pelo novo coronavírus até a manhã de quinta-feira (19). No mundo já são até o momento,ao menos 9.115 mortos por complicações da Covid-19.

O que é coronavírus? (COVID-19)

Coronavírus é uma família de vírus que causam infecções respiratórias. O novo agente do coronavírus foi descoberto em 31/12/19 após casos registrados na China. Provoca a doença chamada de coronavírus (COVID-19).

Os primeiros coronavírus humanos foram isolados pela primeira vez em 1937. No entanto, foi em 1965 que o vírus foi descrito como coronavírus, em decorrência do perfil na microscopia, parecendo uma coroa.

A maioria das pessoas se infecta com os coronavírus comuns ao longo da vida, sendo as crianças pequenas mais propensas a se infectarem com o tipo mais comum do vírus. Os coronavírus mais comuns que infectam humanos são o alpha coronavírus 229E e NL63 e beta coronavírus OC43, HKU1.

Sintomas

Os sinais e sintomas do coronavírus são principalmente respiratórios, semelhantes a um resfriado. Podem, também, causar infecção do trato respiratório inferior, como as pneumonias.

Os principais são sintomas conhecidos até o momento são:

  • Febre
  • Tosse
  • Dificuldade para respirar

Transmissão do vírus

As investigações sobre as formas de transmissão do coronavírus ainda estão em andamento, mas a disseminação de pessoa para pessoa, ou seja, a contaminação por gotículas respiratórias ou contato, está ocorrendo.

Qualquer pessoa que tenha contato próximo (cerca de 1m) com alguém com sintomas respiratórios está em risco de ser exposta à infecção.

A transmissão dos coronavírus costuma ocorrer pelo ar ou por contato pessoal com secreções contaminadas, como:

  • Gotículas de saliva
  • Espirro
  • Tosse
  • Catarro
  • Contato pessoal próximo, como toque ou aperto de mão
  • Contato com objetos ou superfícies contaminadas, seguido de contato com a boca, nariz ou olhos

Os coronavírus apresentam uma transmissão menos intensa que o vírus da gripe.

O período médio de incubação por coronavírus é de 5 dias, com intervalos que chegam a 12 dias, período em que os primeiros sintomas levam para aparecer desde a infecção.

Prevenção

O Ministério da Saúde orienta cuidados básicos para reduzir o risco geral de contrair ou transmitir infecções respiratórias agudas, incluindo o coronavírus. Entre as medidas estão:

  • Lavar as mãos frequentemente com água e sabonete por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização. Se não houver água e sabonete, usar um desinfetante para as mãos à base de álcool
  • Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas
  • Evitar contato próximo com pessoas doentes
  • Ficar em casa quando estiver doente
  • Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogar no lixo
  • Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com freqüência

Tratamento

Não existe tratamento específico para infecções causadas por coronavírus humano. No caso do coronavírus é indicado repouso e consumo de bastante água, além de algumas medidas adotadas para aliviar os sintomas, conforme cada caso, como, por exemplo:

  • Uso de medicamento para dor e febre (antitérmicos e analgésicos)
  • Uso de umidificador no quarto ou tomar banho quente para auxiliar no alívio da dor de garanta e tosse

Mais Lidas