Sem receber visitas, abrigos aumentam cuidados com idosos

Segundo psicólogo, é importante que os idosos entendam o motivo de não estarem recebendo visitas neste momento de pandemia do coronavírus

PANDEMIA
Sem receber visitas, abrigos aumentam cuidados com idosos

Idosos são parte do grupo de risco do coronavírus - Foto: Pixabay

As visitas aos abrigos de idosos fazem grande diferença na rotina dessa população. No entanto, a pandemia do coronavírus interferiu nesta programação. A Secretaria Estadual de Desenvolvimento Social, Criança e Juventude informou que foram suspensas, por tempo indeterminado, as visitas às dez casas de acolhimento de responsabilidade do estado.

Uma delas é o abrigo Cristo Redentor, no bairro de Cavaleiro, em Jaboatão dos Guararapes, na Região Metropolitana do Recife. A instituição é a mais antiga de longa permanência para idosos do estado. Dos 115 que vivem lá, entre os que têm família e amigos, 80% já não recebem visita com frequência. 

O vice-presidente do abrigo, José Jerônimo, conta como está sendo a nova rotina com os idosos desde o início da pandemia. “Nós impedimos todas as visitas no abrigo. Fizemos com que eles entendessem essa restrição e passamos a aumentar o trabalho de terapia ocupacional através dos psicólogos e recreadores”, disse. “Não está sendo fácil porque eles precisam muito desse carinho”, contou. 

Segundo Jerônimo, para evitar que algum idosos seja infectado pelo novo coronavírus a equipe está tomando medidas como higienizar com frequência as mãos dos idosos, uso de máscara e limpando todos os produtos que chegam ao abrigo. 

O psicólogo Eduardo Falcão Felisberto aponta a importância do apoio psicológico para os idosos nesse momento tão difícil. “É importante que eles entendam porquê não estão recebendo visitas e o que está acontecendo fora dali”, destacou. 

Para os abrigos de responsabilidade municipal ou de instituições privadas, a recomendação é de não permitir visitas em grupos.  

Doação 

O Abrigo Cristo Redentor, que citamos no início da matéria, é uma entidade filantrópica sem fins lucrativos, e de utilidade pública reconhecida pelo governo federal, estadual e municipal. o abrigo sobrevive exclusivamente através de doações. Quem não puder levar os mantimentos, o cristo redentor envia um motorista à casa do doador. Ao todo, 40% dos idosos e idosas do cristo redentor não têm contato com a família; 30% são cadeirantes e 15% são acamados. Se você tem interesse em ajudar, basta entrar em contato pelo número (81) 9 9184-9555.

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.