Educação

Rede particular de ensino se adapta ao isolamento e passa a ter aula online


Alunos e professores estão se adaptando a nova rotina de aulas através de vídeos pela internet

Priscila Miranda
Priscila Miranda
Publicado em 04/05/2020 às 16:12
ABr
FOTO: ABr
Leitura:

Uma volta às aulas diferente com escolas fechadas e alunos dentro de casa. Pela primeira vez, os estudantes vão ter que encarar uma nova rotina de estudo e se adaptar ao ensino a distância. A estudante Beatriz Dias é um exemplo da nova realidade de milhares alunos pernambucanos a partir desta segunda-feira (4). A aluna, que cursa o primeiro ano do ensino médio em um colégio particular do Recife, acordou disposta a enfrentar o desafio. Mas assume que já sente algumas dificuldades com o método remoto. “É muito mais cansativo. A interação com os professores e com os alunos é diferente. As aulas, por mais que o colégio tentem continuar dando com a mesma qualidade, você não aprende do mesmo jeito.”

Leia também: Pernambuco contabiliza 8.863 casos de coronavírus e 691 mortes

Pernambuco completa mais uma semana sem futebol

Ciro Bezerra tem teste positivo para covid-19 e se recupera em casa

A adaptação ao novo modelo de estudo também está deixando muitos pais apreensivos. Principalmente aqueles que têm filhos no ensino infantil. A analista de compras Flávia Cabral é um exemplo. Ela tem uma filha de 2 anos e meio e terá que dedicar algumas horas do dia para acompanhar a criança nas aulas digitais. “Uma criança de 2 anos e meio pra se manter entretida naquele vídeo realmente vai ser um desafio.” Dificuldade também encontrada pelo administrador Marlos Costa. Ele não recebeu o conteúdo prometido pela escola. “As escolas não estavam preparadas para essa pandemia, mas é preciso que elas se adaptem o quanto antes.”

O ensino a distância será o método utilizado no período de pandemia para as instituições seguirem com o conteúdo didático programado para este ano. De acordo com o Sindicato dos Donos de Escolas, a orientação para os pais é acompanhar os filhos e criar uma rotina diária, é o que afirma o presidente do sindicato, José Ricardo.

“Esse momento é muito significativo para que os laços afetivos com os professores sejam mantidos com os professores, para que realmente não se perca o senso da escola e não se perca o senso da aprendizagem.”

Embora o ensino a distância seja novo para as escolas particulares a rede pública de ensino já trabalha com aulas remotas desde o início do mês de abril. Os conteúdos são ofertados pela internet e em quatro canais abertos de televisão.O parecer do Conselho Nacional de Educação permite a oferta das aulas não presenciais e elas podem ser computadas como efeito de carga horária para o ano letivo.

Ouça a reportagem:


Mais Lidas