Levantamento mostra que letalidade da covid-19 é maior em bairros pobres do Recife

De acordo com o secretário de Saúde do Recife, campanhas educativas têm sido desenvolvidas nessas localidades para orientar sobre prevenção da covid-19

RISCO
Levantamento mostra que letalidade da covid-19 é maior em bairros pobres do Recife

Por outro, esses lugares têm menos casos - Foto: ALEXANDRE GONDM/JC IMAGEM

Um levantamento feito pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) aponta que bairros mais pobres do Recife têm maior taxa de letalidade da covid-19. Por outro, esses lugares têm menos casos confirmados de coronavírus.

Segundo o estudo da UFPE, o bairro do Vasco da Gama, na Zona Norte do Recife, por exemplo, tem uma taxa de letalidade de 36,6% enquanto Boa Viagem, na Zona Sul, tem pouco mais de 18%.

O secretário de Saúde do Recife, Jailson Correia, aponta que este é um cenário mundial. “A frequência maior entre pessoas que moram em bairros periféricos, bairros de menor renda da cidade do Recife, reflete um fenômeno que é observado em várias partes do mundo. No estado de Nova York (Estados Unidos) quando se estudou mortalidade por covid-19 comparando pessoas de diversas faixas de renda ou mesmo de diversas etnias se percebeu que havia maior mortalidade entre negros ou hispânicos comparados à população branca, também relativo à questão da renda”, disse. “O peso dos determinantes sociais na saúde das pessoas, na vulnerabilidade de sintomas graves de doenças é um fenômeno conhecido, que não só é importante para a covid-19, mas para várias outras doenças”, completou.

De acordo com o secretário, existe um fenômeno que estuda os impactos da pobreza na saúde da população em maior vulnerabilidade social. “A chamada biologização da pobreza é um fenômeno que acontece. Quando as pessoas passam muito tempo sofrendo privações elas perdem biologicamente a capacidade de responder a determinadas infecções. Além da questão de acesso aos serviços de saúde, do controle de doenças de comorbidades, da frequência de obesidade, a própria questão da aglomeração, o risco de morarem em lugares mais hostis que favoreçam a maior proximidade das pessoas com uma carga viral infectante maior todos esses fatores são conhecidos”, explicou.

Campanhas educativas 

O secretário diz que a Prefeitura do Recife tem focado em campanhas educativas para atender a população mais vulnerável. “Desde o início da pandemia há um esforço grande do ponto de vista educativo. Campanhas educativas, uso de drones, de carros de som da comunidade, bicicleta com carro de som. Mais recentemente começamos o programa estações itinerantes de orientação à medida que as pessoas voltaram a circular nos espaços públicos, privilegiando os bairros com maior presença de pessoas em vulnerabilidade. E, a partir desta segunda-feira, [iniciamos] a distribuição de casa em casa nas comunidades mais pobres do Recife com kit com álcool em gel, água sanitária, hipoclorito, sabão em barra para que as pessoas possam ter em casa e ajudar no enfrentamento da covid-19”, destacou.

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.