Policial Militar é preso suspeito de participar de quadrilha de sequestradores

O policial militar seria lotado no 20º Batalhão de Polícia Militar

OPERAÇÃO DUBAI
Policial Militar é preso suspeito de participar de quadrilha de sequestradores

A operação cumpre oito mandados de prisão - Foto: Bruno Campos/ JC Imagem

Matéria atualizada às 12:30

A Polícia Civil deflagrou, nesta terça-feira (28), a Operação Dubai, que tem o objetivo de identificar integrantes de uma organização criminosa armada especializada em crimes de extorsão mediante sequestro. Entre os alvos da operação está um policial militar. Ele foi levado até a sede do Grupo de Operações Especiais (GOE), no bairro do Cordeiro, na Zona Oeste do Recife.

O policial militar, que não teve o nome revelado, seria lotado no 20º Batalhão de Polícia Militar, em São Lourenço da Mata, na Região Metropolitana do Recife. A farda do soldado chegou a ser apreendida, a roupa chegou em uma sacola.

Sob a presidência do Delegado Paulo Berenguer, titular do Grupo de Operações Especiais (GOE), a ação cumpre oito mandados de prisão e três mandados de busca e apreensão domiciliar nas cidades de Carpina, Nazaré da Mata, ambas na Mata Norte do Estado, e Caruaru, no Agreste de Pernambuco.  
Pelo menos três alvos da cidade de Caruaru já foram levados até o GOE, e preferiram o silêncio.

Ao todo 90 policiais civis participarão da operação.

Operação Dubai

As investigações da Operação Dubai tiveram início em julho de 2019. Na execução, foram empregados 90 policiais civis, entre delegados, agentes e escrivães, com apoio da Polícia Militar.

A operação é coordenada pela Diretoria Integrada Especializada da Polícia Civil (DIRESP) e supervisionada pela Chefia de Polícia. As investigações estão sendo assessoradas pela Diretoria de Inteligência da Polícia Civil de Pernambuco - DINTEL, especialmente pelo Núcleo de Inteligência do DRACCO.

Segundo a polícia o líder da organização criminosa conhecido como Henrique Dubai foi preso em Caruaru. Com ele os policiais chegaram a aprender um Camaro. A quadrilha é investigada por pelo menos quatro sequestros de familiares de tesoureiros e gerentes de agências bancárias. Um sequestro teria acontecido em Carpina, dois em Caruaru e um em Bezerros no ano passado.

O local do cativeiro foi quem deu o nome operação, a chácara Dubai na cidade de Caruaru era casa do líder do grupo. Nas redes sociais do líder apontado pela polícia é possível ver muita ostentação, fotos com Camaro apreendido, motos, cavalos de raça bóis e muita festa.

Ouça a reportagem de Cinthia Ferreira: 

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.