MEDO

Após chacina em Ipojuca, PM desmente boato de toque de recolher


Chacina em Ipojuca deixou cinco pessoas mortas

Ísis Lima
Ísis Lima
Publicado em 11/08/2020 às 14:16
Bruno Campos / JC IMAGEM
FOTO: Bruno Campos / JC IMAGEM
Leitura:

Depois da chacina que deixou cinco pessoas mortas e 12 feridos, os moradores de Ipojuca, na Região do Recife, assustados. No fim da tarde desta segunda-feira (10), um áudio passou a circular nos grupos de aplicativos de mensagens. Em tom de comunicado oficial, um homem se diz membro de uma facção criminosa e estabeleceu toque de recolher a partir das 17h. Na mensagem, o suspeito ameaçava matar quem estivesse fora de casa. Segundo a Polícia Militar, o áudio divulgado não passou de um boato, mas que, mesmo assim, vai reforçar o policiamento em toda a região.

Confira a nota completa da Polícia Militar:

O Comando do 18º Batalhão da Polícia Militar de Pernambuco vem a público informa que em relação às notícias que circulam em redes sociais, notadamente pelo whatsapp, dando conta de "toque de recolher" na Comunidade da Rurópolis e comunidades circunvizinhas ao Centro de Ipojuca, após o registro da ocorrência de dois duplos homicídios e ferimento de treze pessoas por disparos de arma de fogo, ocorridos no último domingo dia (9) de agosto de 2020, por volta das 23h20min, fato atribuído a um grupo armado de pessoas ocupantes de dois veículos, cuja as investigações para identificação e prisão estão em andamento por parte da Polícia Civil de Pernambuco e por parte de setores de inteligência do Estado, não passam de notícias falsas propagadas com objetivos de gerar pânico e instabilidade social.

Mesmo assim, o Comando do 18º Batalhão, para imprimir uma maior tranquilidade e segurança, reforçou policiamento Rádio Motorizado em toda a área geográfica do Município de Ipojuca com a atuação, diuturnamente, de várias guarnições de CONTRA RESPOSTA E DO GRUPO TÁTICO ITINERANTE do 18º BPM, guarnições estas com maior capacidade de enfrentamento e resposta. Estão ainda reforçando o policiamento no Município de Ipojuca equipes do Batalhão de Operações Especiais (BOPE), da Radiopatrulha (BPRp) e a inteligência da PMPE.

Efeito do boato

Mesmo sem constatar a veracidade do áudio, a população obedeceu a ordem. O comércio do Ipojuca fechou as portas quase duas horas mais cedo do que o normal. Um carregador de frete, que preferiu não se identificar, contou que assim que ouviu o áudio foi para casa. “Todo mundo está fechando cedo. Todo mundo está largando cedo. Ninguém está ficando no meio da rua. Fui para casa assim que ouvi o áudio”, disse.

Segundo comerciantes, o centro do Ipojuca ficou deserto na noite desta segunda. Mototaxistas e as kombis do transporte alternativo ficaram sem circular. Um motorista, que também preferiu não se identificar, ficou com medo e parou de rodar. Nesta terça-feira, ele afirma que também vai recolher mais cedo. “Eu mesmo vou embora. Eu não vou ficar no meio da rua. Vou morrer de graça?”, contou.

Sobre a chacina

Uma chacina no município de Ipojuca, no Grande Recife, resultou na morte de cinco pessoas, três homens e duas mulheres, na noite de domingo (9), e deixou outros 12 feridos. Entre estes, está uma criança de 11 anos.

Nesta segunda, a polícia encontrou um dos carros utilizados pelos assassinos. O veículo Ford Ka estava capotado em uma estrada em Ipojuca. A placa dele foi clonada. O carro foi levado para o Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), onde foi periciado na manhã desta terça-feira.

Quatro vítimas da violência foram sepultadas ainda nesta sexta-feira em Ipojuca. O crime aconteceu em dois locais da cidade. Na comunidade Rurópolis, as três pessoas que morreram e as 12 pessoas ficaram feridas estavam em um pastel nesta praça. Os assassinos também mataram dois rapazes que estavam em uma casa na PE-60, antes de fugir.

Em relação às investigações da chacina, a Polícia Civil informou que só vai se pronunciar quando concluir o caso para não atrapalhar o andamento da investigação.


Mais Lidas