Viôlencia Policial

Policial militar que matou jovem em Glória do Goitá será indiciado por homicídio doloso


O policial militar atirou no peito do jovem de 22 anos em um bar da cidade

Carol Coimbra
Carol Coimbra
Publicado em 19/08/2020 às 14:29
Reprodução/Internet
FOTO: Reprodução/Internet
Leitura:

O policial militar que matou o jovem José Adelino Costa Junior, de 22 anos, com um tiro no peito, no sábado (15), dentro de um bar, na cidade de Glória do Goitá, na Zona da Mata Norte de Pernambuco, será indiciado por homicídio doloso, quando há intenção de matar. A informação revelada pelo delegado Erivaldo Guerra, responsável pelas investigações do caso.

O policial militar se apresentou à polícia com um advogado alegando que o tiro havia sido disparado em legítima defesa. No entanto, segundo o delegado, as seis testemunhas ouvidas até o momento rebatem a informação do PM, que tem seis meses de corporação.

De acordo com o delegado, as testemunhas afirmam que o tiro não foi em legítima defesa. “A gente já tem certamente a conclusão do inquérito que vai ser feita essa semana e vamos enviar para o Ministério Público e posteriormente para o judiciário, para que sejam tomadas as providências. O policial militar alega que agiu em legítima defesa, mas as testemunhas o contradizem nas oitivas realizadas hoje. Todas as testemunhas são unânimes em dizer que não houve legítima defesa e que ele atirou porque queria atirar. Atirou sem dar chance de defesa à vítima. Ele será indiciado por homicídio doloso”, relatou o delegado.

Um grupo de moradores de Glória do Goitá realizou um protesto em frente à delegacia para pedir justiça pelo caso. A manifestação foi pacífica, com faixas e cartazes.

O policial militar, que não teve o nome divulgado, vai aguardar ao processo em liberdade.

Ouça a reportagem de Alfredo Neto:


Mais Lidas