Perda de olfato foi sentida por 80% dos pacientes com covid-19, aponta pesquisa

Mais de dois meses após ter a covid-19, o olfato não foi recuperado por 5% dos pacientes

SINTOMAS
Perda de olfato foi sentida por 80% dos pacientes com covid-19, aponta pesquisa

Pesquisa mostrou que 5% dos pacientes não recuperaram o olfato dois meses e meio após infecção pela covid-19 - Foto: Getty Images

Mesmo sem outros sintomas, pessoas que foram infectadas pela covid-19 conseguem perceber a doença com a perda de olfato. Como já conhecido, deixar de sentir cheiros é uma das características de quem adquiriu o novo coronavírus. Segundo uma pesquisa do Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo (USP) conduzida com 650 pessoas que tiveram o novo coronavírus, 80% relataram perda total ou parcial da capacidade de sentir cheiro no surgimento dos sintomas.

A perda de olfato tem a ver com receptores que existem no nariz, em português são chamados de enzima conversora da angiotensina que em contato com o novo coronavírus iniciam um processo inflamatório.

O professor Fabio Rezende Pinna explica que com poucos testes no começo da pandemia no país, a falta de cheiro já era sinal para recomendar o isolamento dos pacientes. “Muitas vezes quando tinham outros sintomas gripas, febre, tosse e a perda do olfato ou às vezes somente a perda do olfato e paladar rápidos isso já era muito sugestivo. Na prática acaba fazendo isolamento para evitar que passasse [a covid-19] para outros”, disse.

Recuperação

A pesquisa revelou ainda que 5% das pessoas avaliadas desde abril não recuperaram o olfato depois de dois meses e meio de terem a covid-19.

Não existe um exame que aponte o nível do prejuízo ao olfato, como explica o otorrinolaringologista Cleidson Oliveira. "Tem pacientes que conseguem identificar desde uma pequena perda e tem pacientes que não conseguem referir que houve alteração pequenas nesse sentido. Em relação ao tratamento, este pode ser farmacológico ou testes estimulatórios olfatórios. Costumamos indicar sete ingredientes de odores bem conhecidos, como cravo, café, menta, suco de tangerina, vinho tinto ou vinagre de vinho tinto e baunilha. Estimulamos cheirar esses ingredientes durante 10 segundos com intervalo de 15 entre eles, três repetições, três vezes ao dia", detalhou. 

O estudo feito na USP investiga pacientes hospitalizados e remotos. Basta saber quando eles vão recuperar de forma satisfatória a capacidade de sentir cheiros.  

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.