JUSTIÇA

Caso Miguel: Justiça marca audiência para dezembro


Miguel Otávio, de 5 anos, morreu no dia 2 de junho deste ano após cair do nono andar do prédio em que a mãe trabalhava como doméstica

Ísis Lima
Ísis Lima
Publicado em 28/09/2020 às 14:39
 Alex Oliveira/JC Imagem
FOTO: Alex Oliveira/JC Imagem
Leitura:

A Justiça marcou para o dia 3 de dezembro, às 9h, a audiência de instrução e julgamento do caso Miguel. Na audiência serão ouvidas testemunhas de defesa e acusação, além da ré, Sari Corte Real. Miguel Otávio Santana da Silva, de 5 anos, morreu no dia 2 de junho deste ano, quando estava sob os cuidados da ex-patroa da mãe, a esposa do prefeito de Tamandaré, Sérgio Hacker. Sarí Corte Real responde ao processo em liberdade.

Leia também >> Caso Miguel: escute a música de Adriana Calcanhotto dedicada ao menino

'Menino Miguel': UFRPE cria Instituto voltado aos cuidados da infância à velhice em homenagem ao garoto

Campanha por justiça marca os três meses da morte de Miguel

Família do menino Miguel pede indenização por danos morais e materiais na Justiça

Próximos passos processuais

Agora que a data da audiência foi definida, o Ministério Público de Pernambuco (MPPE) e a defesa de Sarí, que era patroa da mãe de Miguel, vão apresentar à Justiça a lista de testemunhas de acusação e defesa que devem ser convocadas para prestar depoimento na fase de audiência.

No dia 3 de dezembro, quando todos forem ouvidos em juízo, será a vez de Sarí Corte Real responder aos questionamentos. Ela tem o direito de ficar calada. Finalizada esta etapa, acusação e defesa vão apresentar as alegações finais. O prazo é de até dez dias a partir da notificação. Por m, o juiz da 1ª Vara de Crimes contra a Criança e o Adolescente da Capital dará a sentença.

Relembre o caso

O menino Miguel Otávio Santana da Silva, de 5 anos, morreu no dia 2 de junho, após cair do nono andar do Edifício Maurício de Nassau, no Bairro de São José, na área central do Recife. A criança estava sob os cuidados da ex-patroa da mãe dele, a esposa do prefeito de Tamandaré, Sérgio Hacker, Sarí Gaspar Corte Real. Ela foi indiciada por abandono de incapaz com resultado de morte e aguarda julgamento em liberdade.

No momento da queda de Miguel, Mirtes Renata, mãe da criança, passeava com o cachorro de Sarí.


Mais Lidas