Setor de serviços tem aumento de 3,5% em Pernambuco, aponta pesquisa do IBGE

Aumento registrado no mês de agosto é inferior aos registrados nos meses de junho e julho em Pernambuco

ECONOMIA
Setor de serviços tem aumento de 3,5% em Pernambuco, aponta pesquisa do IBGE

Bares e restaurantes estão entre os mais afetados pela crise da covid-19 - Foto: FOTO: THIAGO BARRETO /RÁDIO JORNAL

Dados divulgados nesta quarta-feira (14) da Pesquisa Mensal de Serviços (PMS) para o mês de agosto, realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), revelam que o setor de serviços em Pernambuco registrou um aumento de 3,5% no período. No entanto, esse aumento foi menor do que o registrado em junho (5,7%) e julho (4,7%). Sendo assim, o resultado do segmento ainda não foi suficiente para recuperar as perdas econômicas provocadas pela pandemia da covid-19. A gerente de planejamento do IBGE em Pernambuco, Fernanda Estelita, explica que esse número é sinônimo de retomada, e não de recuperação.

“Esses números mostram que Pernambuco começa um movimento de retomada. A gente não fala ainda de recuperação, mesmo porque o setor de serviços ainda funciona com muitas restrições. É o começo de uma volta, que ainda deve durar algum tempo, enquanto a gente não tiver solução para a questão da pandemia”, disse.

Serviços prestados às famílias

Os serviços prestados às famílias, que inclui 23 tipos de serviços, foram os mais afetados pela crise provocada pelo novo coronavírus, chegando a -58,5% de redução em comparação ao mesmo mês de 2019, destaca Fernanda Estelita. “No setor de serviços, os serviços prestados às famílias são os que têm sofrido mais ao longo desse período. Nele estão incluídos os serviços de beleza, de hotelaria, de restaurante. São muitos serviços. E principalmente aqueles mais afetados, onde a retomada ainda não começou a acontecer”, explicou.

Turismo de Pernambuco abaixo da média nacional

Embora o turismo em Pernambuco esteja em processo de recuperação, o estado teve o menor índice de atividades turísticas em agosto entre os 12 estados pesquisados pelo IBGE. Todos eles registraram expansão no segmento, mas, em PE, a alta foi de 12,7%, contra 19,3% da média nacional e 85,4% do Ceará, unidade da federação com melhor desempenho, seguida da Bahia (48,4%).

Ainda assim, o índice de agosto foi o segundo melhor desde o início da série histórica, iniciada em janeiro de 2011, atrás apenas dos números de julho (22,2%), quando Pernambuco foi a localidade com maior aumento na atividade turística, segundo a PMS.


Acima da média nacional

Com os números da PMS de agosto, Pernambuco fica em 11º lugar nacional na elevação do volume de serviços, ficando atrás de outros estados do Nordeste, como Paraíba, Piauí, Maranhão e Ceará. Mesmo com a desaceleração da recuperação do setor em relação aos meses de julho e junho, o estado conseguiu ter índices superiores à média brasileira, que foi de 2,9%.

Outros serviços

No mês de agosto, o segmento Outros serviços (-4,2%), como compra, venda e aluguel de imóveis, atividades de apoio à agricultura, à pecuária e gestão de resíduos sólidos registrou um aumento de 14,3% em relação ao mesmo período do ano passado. É a primeira vez desde o início das medidas de distanciamento social, em março, que uma das cinco atividade de serviços pesquisadas pelo IBGE apresenta números positivos em Pernambuco. Este também é o primeiro aumento do setor no ano.

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.