Presidente da Urbana PE critica fiscalização em empresas de ônibus feita pelo Sindicado dos Rodoviários

Os rodoviários protestaram nesta quarta-feira (9) em frente as garagens de algumas empresas de ônibus que circulam pela Região Metropolitana do Recife

TRANSPORTE PÚBLICO
Presidente da Urbana PE critica fiscalização em empresas de ônibus feita pelo Sindicado dos Rodoviários

Ônibus da empresa Caxangá ficaram na garagem, no início da manhã desta quarta-feira (9) - Foto: Day Santos/Jc Imagem

A manhã desta quarta-feira (9), na Região Metropolitana do Recife, foi marcada pela movimentação dos rodoviários que foram até as portas das garagens de algumas empresas de ônibus que prestam serviço de transporte público no Grande Recife. A categoria esteve nos locais sendo representada pelo Sindicato dos Rodoviários, a fim de proibir a saída de veículos que estivessem sem cobradores. Isso porque começou a vigorar nesta quarta a lei de número 18.761/2020, que proíbe a dupla função dos motoristas. O presidente do Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros no Estado de Pernambuco (Urbana-PE), Fernando Bandeira, destaca que foi pego de surpresa com o episódio. E afirma que quem deve fiscalizar não são os rodoviários.

“Hoje nós fomos surpreendidos por mais uma ação irresponsável do Sindicado dos Motoristas. Ele passou a fiscalizar uma coisa que não compete a ele. A quem compete a fiscalização do sistema de transporte, é o Grande Recife Consórcio de Transportes. Não o Sindicato dos Rodoviários”, disse.

Bandeira ressalta ainda uma decisão judicial concedida no fim da manhã desta quarta-feira, que proíbe os rodoviários de fazerem movimentações dessa natureza nas portas das garagens de ônibus.

“Nós entramos com uma ação judicial na Justiça do Trabalho, e a senhora desembargadora da 4ª vara deu uma liminar proibindo que o Sindicato dos Rodoviários fizesse qualquer movimento nas portas das garagens, impedindo a circulação dos ônibus”, detalhou Bandeira”, comentou.

Lei 18.761/202

O presidente da Urbana PE também critica a aplicabilidade da lei que proíbe a dupla função dos motoristas nos transportes públicos do Recife.

“A lei foi da Câmara de Vereadores do Recife. E o transporte, nosso, é da Região Metropolitana. Então a Câmara Municipal não pode fazer uma lei que sirva para os ônibus da Região Metropolitana”, ressaltou.

“Não vamos deixar que o rodoviário faça esses movimentos irregulares. Se ele o fizer, ele será autuado e pagará uma multa. E nós vamos fiscalizar para que o sistema rode na sua normalidade”, complementou.

Confira a íntegra da entrevista:

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.