PANDEMIA

Ipojuca cancela queima de fogos no réveillon em Porto de Galinhas e demais praias da cidade


A decisão está alinhada com o decreto estadual que proíbe festas de Natal e de réveillon em todo o território pernambucano

Yuri Nery
Yuri Nery
Publicado em 10/12/2020 às 18:11
Gabriel Monteiro/SECOM
FOTO: Gabriel Monteiro/SECOM
Leitura:

A tradicional queima de fogos de réveillon não deve acontecer este ano no município de Ipojuca, no litoral sul de Pernambuco. O anúncio do cancelamento do show pirotécnico na Praia de Porto de Galinhas, um dos principais destinos turísticos do estado, e em outras praias que cortam a cidade foi anunciado pela prefeitura nesta quarta-feira (9).

A decisão, que tem o objetivo de evitar a disseminação do novo coronavírus, está alinhada com o decreto publicado na última quinta-feira (7), pelo Governo de Pernambuco, que proíbe a realização de festas de Natal e de réveillon no estado. A prefeita de Ipojuca, Célia Sales destaca a importância da medida para preservar a vida não só dos locais, mas também dos turistas.

“Na certeza de que a pandemia ainda não acabou e que precisamos preservar a vida não só do povo ipojucano, mas dos turistas que nos visitam. Não podíamos ir na contramão das decisões que estão sendo que estão ocorrendo no estado e em todos os pontos turísticos do mundo”,

“Vamos nos cuidar, usar máscara e passar as festas de fim de ano com as famílias e com gratidão no coração”, complementou a prefeita.

Aumento de casos no estado

Pernambuco tem registrado alta nos indicadores de solicitação para internações em UTI para os casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (Srag). De acordo com secretário de saúde do Estado, André Longo, a proibição foi necessária após o descumprimento dos protocolos sanitários por parte de bares, restaurantes e clubes de festas e shows.

"Com base no atual momento epidemiológico, estamos proibidos a realização de shows e festas de Natal e réveillon, incluindo as realizadas em espaços públicos, condomínios, clubes, hotéis e estabelecimentos afins, com ou sem cobrança de ingresso”, disse o secretário em entrevista na última segunda-feira (7).


Mais Lidas