GOVERNO BOLSONARO

Novo ministro do Turismo diz que setor está se recuperando "numa velocidade astronômica"


O pernambucano Gilson Machado Guimarães Neto assumiu o Ministério do Turismo após a saída de Marcelo Álvaro Antônio

Com informações do JC Online
Com informações do JC Online
Publicado em 10/12/2020 às 15:35
Isac Nóbrega /PR
FOTO: Isac Nóbrega /PR
Leitura:

O novo ministro do Turismo, Gilson Machado Guimarães Neto, agradeceu o presidente Jair Bolsonaro pela nomeação. O pernambucano, que era presidente da Agência Brasileira de Promoção Internacional do Turismo (Embratur), assume o posto deixado por Marcelo Álvaro Antônio. As mudanças foram publicadas no Diário Oficial da União, desta quinta-feira (10).

“Eu só tenho muita gratidão ao presidente Bolsonaro pela confiança na minha pessoa, desde a época da transição governamental (...) Eu não tenho dúvidas de que o Brasil tem um potencial para o turismo que poucos países da América Latina têm. Nós fomos arquitetados para dar certo”, disse.

Recuperação em velocidade astronômica

Gilson Machado reconhece o momento difícil, mas diz que o setor de turismo está se recuperando muito acima da média de outros países da América Latina. “Estou assumindo o ministério no pior momento possível, onde um dos setores mais afetado foi o do turismo (...) O turismo vem se recuperando dia após dia, numa velocidade astronômica, e muito acima da média de outros países da América Latina”, afirmou.

Trajetória

O novo ministro do Turismo, Gilson Machado Guimarães Neto, é pernambucano, veterinário de formação e sempre reforça em seus discursos públicos o orgulho de ser "sanfoneiro". O novo ministro já foi integrante de uma banda de forró nos anos 2000. Machado Neto também é dono de uma pousada em área de proteção ambiental no Litoral Norte de Alagoas, já tendo sido multado em R$ 3.500 por instalar barracas em área proibida e descumprir regras de turismo sustentável. Quando o caso veio à tona, no ano passado, no momento que ele assumia a Secretaria de Ecoturismo do Ministério do Meio Ambiente (MMA), o analista ambiental que o multou foi exonerado da chefia da área de proteção ambiental da Costa dos Corais.

Aliado de Bolsonaro desde a campanha presidencial, ele participou da equipe de transição. Antes de ser nomeado presidente da agência de fomento ao turismo, atuava como secretário nacional de Ecoturismo e Cidadania Ambiental, do Ministério do Meio Ambiente, onde também exerceu o cargo de secretário de Florestas.


Mais Lidas