Covid-19

Nordestino é vacinado contra covid-19 nos EUA e se diz "felizardo"


Gilson Fernandes se vacinou voluntariamente em hospital onde trabalha como médico, em Miami, nos Estados Unidos

Gabriel dos Santos Araujo Dias
Gabriel dos Santos Araujo Dias
Publicado em 17/12/2020 às 11:11
CORTESIA
FOTO: CORTESIA
Leitura:

O médico brasileiro Gilson Fernandes, que mora em Miami, nos Estados Unidos, foi um dos primeiros a ser vacinados contra a Covid-19 nos EUA, na última terça-feira (15). Gilson, que nasceu na Paraíba, contou sobre sua experiência em entrevista a Geraldo Freire, na Rádio Jornal, na manhã desta quinta-feira (17), durante o programa Passando a Limpo. Ele e cerca de 1.000 profissionais de saúde se apresentaram de forma voluntária para serem os primeiros a receber a vacina desenvolvida pela Pfizer/BioNtech.

Vacinação no Brasil pode começar em fevereiro de 2021, segundo ministro da Saúde.

“Fui o felizardo aqui nos Estados Unidos de receber a vacina da covid de forma voluntária no hospital onde trabalho. No Jackson Memorial Hospital, recebemos a vacina no segundo dia que ela foi aprovada no país. Foi uma aceitação muito grande do corpo médico. Nós, profissionais de saúde, verificamos que a eficácia e a segurança da vacina são excelentes. Eu recebi a vacina há 36 horas. No dia após a vacinação, eu trabalhei o dia inteiro sem nenhum problema, o único efeito colateral que eu senti foi uma leve dor no braço no local de aplicação da vacina. A mesma coisa que se sente com a [vacina] da influenza”, relatou o paraibano.

Ouça a entrevista:

Reações

Sobre reações alérgicas à vacina, o médico lembrou que “em toda vacinação existe um risco de processo alérgico”. "Inclusive a vacina da influenza também tem o mesmo risco. Em todos os estudos, as pessoas ficaram em observação de 20 a 30 minutos para ter certeza que nenhuma reação ocorresse”, explicou. Nos primeiros dias de aplicação da vacina da Pfizer/BioNtech contra a Covid-19, foram registrados pelo menos dois casos de reação alérgica severa no Reino Unido e um nos Estados Unidos.

A esposa de Gilson, a também médica Amanda Dantas, postou na sua conta no Instagram: "Me sentindo abençoada por ter a oportunidade de estar na linha de frente para receber a vacina contra a Covid-19 e estar saudável para proteger meus pacientes, minha família e minha comunidade. Gratidão ao @jacksonhealth e à @pfizerinc por nos trazer esperança de dias mais brilhantes. Obrigada à equipe do Jackson Memorial pela sua organização e compromisso de cuidar de todos nós."


Mais Lidas