Greve

Greve de ônibus tem início no Grande Recife


Com poucos ônibus nas ruas, passageiros aguardam bastante nas paradas.

Gabriel dos Santos Araujo Dias
Gabriel dos Santos Araujo Dias
Publicado em 22/12/2020 às 7:06
JC Imagem
FOTO: JC Imagem
Leitura:

Reportagem sobre greve de ônibus em atualização.

Prometida na semana passada, a greve dos rodoviários no Grande Recife começou oficialmente nesta terça-feira (22). O Grande Recife Consórcio de Transporte informou que às 7h da manhã, apenas 20% dos ônibus circulavam pelas cidades da RMR. Equipes de reportagem do Sistema Jornal do Commercio de Comunicação estiveram nas ruas do Recife na manhã desta terça e constataram o baixo movimento de coletivos por importantes corredores de ônibus da cidade. A greve é motivada pela decisão das empresas de ônibus de atribuir uma dupla função, de motorista e cobrador, aos condutores dos veículos.

Sem ônibus

Quem precisa de ônibus na região central do Recife precisa ter paciência. No bairro de São José, na altura do cruzamento entre a Avenida Conde da Boa Vista e Rua da Aurora, o movimento é baixíssimos. A repórter Cinthia Ferreira apurou que uma linha da empresa Metropolitana reduziu a quantidade de ônibus de oito para três.

Confira galeria de fotos do movimento paradista:

As paradas estão cheias. No terminal de Joana Bezerra, na Zona Sul da cidade, muitas filas sem distanciamento social e aglomerações de passageiros que tentam embarcar nos poucos ônibus que circulam.

O presidente do sindicatos do rodoviários, Aldo Lima, afirmou que há grande adesão da categoria ao movimento paredista. “Nós não temos ciência do percentual de ônibus nas ruas. Nós gostaríamos que estivessem 100% da frota, infelizmente, a greve está acontecendo porque o governador Paulo Câmara é conivente com as empresas de ônibus e segundo porque as empresas não cumprem nenhum acordo. Não houve outra alternativa para o sindicato”, disse.

Questionado sobre se a greve pode acabar ainda hoje, o sindicalista disse que apenas se houver discussão com a classe patronal. “Estamos convocando toda a categoria para a sede do sindicato, às 9h, para uma assembleia. Estamos aguardando uma possível discussão com o setor patronal, sem o tom de provocação que foi feita, onde eles apresentaram a proposta de discutir apenas o percentual de ticket, nós queremos o ticket, mas queremos também a garantia daquilo que foi acordado no Tribunal Regional do Trabalho, ou seja, a volta dos cobradores, estabilidade de emprego e o retroativo que era para ser pago. Vamos continuar [com a greve] sem prazo para terminar”, disse Aldo Lima.


Mais Lidas