IMUNIZAÇÃO

Apenas 1,78% dos brasileiros já receberam vacina contra a covid-19, segundo Our World in Data

O mundo deve chegar a 150 milhões de doses aplicadas da vacina contra a covid-19 nesta quarta-feira (10)

Ísis Lima
Ísis Lima
Publicado em 10/02/2021 às 15:35
Paulo Daniel/TV Jornal
FOTO: Paulo Daniel/TV Jornal
Leitura:

Com quase 147,2 milhões de doses aplicadas até esta terça-feira (9), o mundo avança na imunização contra a covid-19, ainda com uma oferta limitada de vacinas disponíveis, porém aplicando mais de 4 milhões de doses de imunizantes por dia desde o fim de janeiro. Os dados são do painel Our World in Data, ligado à Universidade de Oxford, no Reino Unido.

Se o ritmo de vacinação for mantido, a marca de 150 milhões de doses deve ser superada nesta quarta-feira (10). Nesse cálculo, é preciso considerar que o número de doses aplicadas é diferente do número de pessoas que receberam ao menos uma dose, já que considera também a segunda dose das vacinas que exigem tal esquema de vacinação.

>> Covid-19: vice-diretor da OPAS comenta qual país deve atingir primeiro 70% da população vacinada

>> Covid-19: Recife inicia agendamento da 2º dose e amplia público da vacinação

O total de aplicações desde dezembro do ano passado até esta terça (9) representa apenas 1,89 dose para cada 100 pessoas no planeta e indica que 0,9% da população mundial recebeu ao menos uma dose.

Brasil

No ranking do site, o Brasil ocupa a quinta posição entre os que mais aplicam vacinas diariamente e a 34ª, quando considerado o percentual da população que recebeu ao menos uma dose. Segundo dados do Our World in Data, 1,78% dos brasileiros receberam ao menos uma dose de vacina contra a covid-19 até esta terça (9), e o país aplicou, ao todo, 3,82 milhões de doses.

>> Covid-19: Vice-diretor da OPAS avalia com cautela movimento de empresários para adquirir vacinas

>> Especialista critica falta de competência técnica na condução do processo de vacinação no Brasil

>> Covid-19: Idosos podem ir de Uber a local de vacinação gratuitamente; veja como

>> Dona do Magazine Luiza, empresária Luiza Trajano quer vacinar toda a população até setembro deste ano

Os dados sobre o Brasil no site são menos atualizados que os mostrados no painel Monitora Covid-19, da Fundação Oswaldo Cruz. Segundo a plataforma da Fiocruz, o Brasil superou ontem a marca de 4 milhões de pessoas vacinadas e já aplicou ao menos uma dose em 1,93% da população.

China e EUA lideram aplicação

O total de 147,2 milhões de vacinas alcançado até então tem uma participação expressiva de Estados Unidos (43,2 milhões até 9 de fevereiro) e China (40,5 milhões até 9 de fevereiro). O último dado disponível no portal informa que os americanos aplicaram 1,49 milhão de doses em 9 de janeiro, o maior número desde o início da vacinação nos Estados Unidos. Já a China aplicou 1,67 milhão de doses em 9 de fevereiro, uma queda em relação aos 1,92 milhão que foram aplicadas em 7 de fevereiro.

Os americanos estão aplicando doses das vacinas Pfizer/Biontech e Moderna, enquanto os chineses vem utilizando a CoronaVac, da Sinovac e os dois imunizantes desenvolvidos pela Sinopharm com laboratórios de Wuhan e Pequim.

Reino Unido (431 mil doses em 8 de fevereiro), Índia (353 mil doses em 9 de fevereiro) e Brasil (218 mil doses em 9 de fevereiro) completam a lista dos países que mais aplicavam vacinas por dia, segundo os últimos dados disponíveis no Our World in Data. Já segundo o Monitora Covid-19, da Fiocruz, o Brasil aplicou 267,5 mil doses em 9 de fevereiro.

Os três países estão aplicando dois tipos de vacina, sendo um deles a Oxford/AstraZeneca. No caso do Brasil, também está em uso a CoronaVac, enquanto os britânicos adotam a Pfizer/Biontech, e os indianos, a Covaxin.

Israel tem maior cobertura

Quanto à cobertura vacinal, no entanto, nenhum país chegou tão longe quanto Israel, que já completou o esquema de doses em 25,69% de sua população, de cerca de 8,7 milhões de pessoas. A campanha de vacinação israelense conta com duas vacinas de RNA mensageiro, Moderna e Pfizer/BioNTech, e já aplicou 5,8 milhões de doses desde dezembro. Com isso, 41,6% da população já recebeu ao menos uma dose.

Com mais de 60 milhões de habitantes, o Reino Unido já administrou ao menos uma dose em 18,6% da população, percentual quase duas vezes maior que o dos Estados Unidos (9,83%), cuja população é mais que cinco vezes superior à britânica.

As doses aplicadas no mundo, até o momento, fora da fase de testes são de dez desenvolvedores diferentes: Oxford/AstraZeneca (Reino Unido e Suécia), Sinovac (China), Pfizer/Biontech (Estados Unidos e Alemanha), Moderna (Estados Unidos), Instituto Gamaleya (Rússia), Bharat Biotech (Índia), CanSino/Instituto de Biotecnologia de Pequim (China), Instituto Vector (Rússia), Sinopharm/Instituto de Produtos Biológicos de Pequim (China), Sinopharm/Instituto de Produtos Biológicos de Wuhan (China).

>> Vacinação contra a covid-19: Ex-coordenadora do PNI critica lentidão no Brasil e sugere pré-cadastro

>> O que é IFA? Entenda importância do Insumo Farmacêutico Ativado na produção de vacinas contra covid-19

O que é coronavírus?

Coronavírus é uma família de vírus que causam infecções respiratórias. O novo agente do coronavírus foi descoberto em 31/12/19 após casos registrados na China.Os primeiros coronavírus humanos foram isolados pela primeira vez em 1937. No entanto, foi em 1965 que o vírus foi descrito como coronavírus, em decorrência do perfil na microscopia, parecendo uma coroa.

A maioria das pessoas se infecta com os coronavírus comuns ao longo da vida, sendo as crianças pequenas mais propensas a se infectarem com o tipo mais comum do vírus. Os coronavírus mais comuns que infectam humanos são o alpha coronavírus 229E e NL63 e beta coronavírus OC43, HKU1.

Como prevenir o coronavírus?

O Ministério da Saúde orienta cuidados básicos para reduzir o risco geral de contrair ou transmitir infecções respiratórias agudas, incluindo o coronavírus. Mesmo com o início da vacinação contra a covid-19, é importante manter as medidas. Entre elas estão:

- Usar máscara em ambientes compartilhados

- Lavar as mãos frequentemente com água e sabonete por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização.

- Se não houver água e sabonete, usar um desinfetante para as mãos à base de álcool.

- Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas.

- Evitar contato próximo com pessoas doentes.

- Ficar em casa quando estiver doente.

- Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogar no lixo.

- Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com freqüência.

- Profissionais de saúde devem utilizar medidas de precaução padrão, de contato e de gotículas (máscara cirúrgica, luvas, avental não estéril e óculos de proteção).

- Para a realização de procedimentos que gerem aerossolização de secreções respiratórias como intubação, aspiração de vias aéreas ou indução de escarro, deverá ser utilizado precaução por aerossóis, com uso de máscara N95.

Mais Lidas