Covid-19: "A qualquer momento teremos notícias de outras variantes no Brasil", alerta especialista

Médico e cientista Miguel Nicolelis foi entrevistado pela Rádio Jornal na tarde desta sexta-feira (5)

CORONAVÍRUS
Covid-19:

Movimentação nas ruas do centro do Recife, na véspera de Natal - Foto: Alex Oliveira / JC IMAGEM

Em entrevista à Rádio Jornal durante a tarde desta sexta-feira (5), o médico e cientista Miguel Nicolelis analisou a situação da pandemia de covid-19 em Pernambuco. 

>>>Covid-19: Governador de Pernambuco diz que ocupação de leitos de UTI na rede pública é de 94%

Os leitos de UTI da rede pública já possuem uma taxa de ocupação de 94%, de acordo com o governador Paulo Câmara. Na conversa com os apresentadores Anne Barreto e Leandro Oliveira, Nicolelis fez comentários pontuais sobre o cenário atual.

"Nós alertamos que as taxas estavam aumentando em todo o Nordeste. Nós tivemos festas de Natal, de Ano Novo e de Carnaval. O primeiro lockdown que foi feito no Grande Recife foi muito bem sucedido. O Governo do Estado tem que ajudar a população a ficar em casa", disse.

Sobre as variantes da covid-19, o cientista foi direto ao afirmar que uma nova linhagem do vírus pode aparecer a qualquer momento no Brasil. "A qualquer momento, teremos notícias de outras variantes no país. Como aconteceu na Califórnia, no Amazonas e em outros lugares. Por isso que está se falando que o Brasil vai ser o laboratório a céu aberto para o vírus se multiplicar e gerar novas variantes. Estamos nos tornando uma ameaça para nós mesmos e para o mundo inteiro". 

Lockdown "ideal"

Ainda de acordo com o cientista, um lockdown de 21 dias seria o ideal para que o número de ocupação nas UTI's diminuisse. "Nos cálculos que fiz em janeiro e refinei ao longo desse período, seria pelo menos 21 dias para abater a taxa de transmissão rapidamente no Brasil e dar um alívio na taxa de ocupação de leitos no país todo. No momento em que você cruza os 80% de taxa de ocupação de UTI, você tem que entrar em lockdown para impedir que esse número evolua para um colapso completo", explicou.

Situação em Pernambuco

O governo estadual realizou, nesta quinta-feira (4), uma nova entrevista coletiva para detalhar o andamento do combate a pandemia da covid-19 em Pernambuco. O secretário de Saúde André Longo e o secretário executivo de Defesa Social Humberto Freire participam na ocasião.

>>>Covid-19: Pernambuco revela investimento de mais R$ 720 mil na fiscalização de serviços não essenciais

Nesta sexta-feira (05), o estado registrou 1.588 casos da Covid-19. Entre os confirmados hoje, 123 (8%) são casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) e 1.465 (92%) são leves.

Agora, Pernambuco totaliza 306.320 casos confirmados da doença, sendo 32.845 graves e 273.475 leves. Também foram confirmados 29 óbitos, ocorridos entre 09/07/2020 e 04/03/2021. Com isso, o Estado totaliza 11.119 mortes pela Covid-19.

"A doença tem levado a um crescimento no número de casos em praticamente todas as faixas etárias. Notamos que, com exceção daqueles com acima dos 85 anos, todos estão com aumento no registro de casos graves.", afirmou. 

Assista 

Ainda segundo Longo, a faixa daqueles que possuem 85 anos ou mais teve uma redução, possivelmente por causa da vacinação contra a covid. "Já na faixa dos idosos com mais de 85, tivemos uma redução de 25% nos casos de síndrome respiratória aguda grave. Esse fator pode indicar um reflexo da vacinação dessas pessoas em Pernambuco"

Alerta para os jovens

Longo fez um alerta para os jovens que seguem descumprido o isolamento social e as medidas de segurança para conter o avanço da covid. "Os jovens que se acham invencíveis, que vão pra balada, que vão pra curtição, podem sim desenvolver casos graves. Então cuidem-se. Cuide de vocês e daqueles que ficam em casa. É muito importante que todos atentem para essa questão"

Possível novo hospital de campanha

O secretário de saúde de Pernambuco disse também que existe um plano para abrir um novo hospital de campanha no bairro dos Coelhos, área central do Recife. 
"Temos o projeto de um hospital de Campanha para a região dos Coelhos. Estamos caminhando nesse processo, com os editais de chamamento tanto para a construção do equipamento, quanto para uma organização social que venha operar esse hospital, que inicialmente tem uma perspectiva de 430 leitos. A execução desse hospital vai depender da velocidade da doença e da quantidade de leitos que conseguirmos abrir nas próximas semanas", declarou. 

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.