EXPECTATIVA

Submarinista diz ser importante saber o que aconteceu com submarino da Indonésia para evitar outros acidentes


Autoridades da Indonésia fazem buscas por um submarino que deixou de fazer contato desde a última quarta-feira.

Ísis Lima
Ísis Lima
Publicado em 23/04/2021 às 17:36
Divulgação
FOTO: Divulgação
Leitura:

O chefe da Marinha da Indonésia, Yudo Margono, afirmou que o submarino que desapareceu na indonésia tem capacidade para 72 horas de oxigênio, o que significa que ele acabaria no início de sábado (24). Equipes tentam encontrar o Kri Nanggala-402, que desapareceu com 53 pessoas a bordo. O submarino era usado em um treinamento da Marinha e deixou de fazer contato desde a última quarta-feira (21).

O submarinista da Marinha do Brasil, suboficial Machado, conversou com a Rádio Jornal, nesta sexta-feira (23), espera que os próprios tripulantes do submarino possam contar o que aconteceu. “É muito importante para nós sabermos, até mesmo para prevenir novos acidentes que possam acontecer”, afirmou.

Ele disse que os profissionais passam por adestramentos (treinamentos) constantes para evitar acidentes. “Esse é um momento que nós, submarinistas, nunca esperamos que aconteça. Eles estavam em adestramento justamente para evitar e se preparar para qualquer sinistro (...) A tripulação de submarino passa por inúmeros adestramentos”, disse.

O especialista comenta sobre o que pode ter acontecido para o submarino não ter conseguido emergir. “São inúmeros acidentes que podem ocorrer com um submarino. Pode ter sido uma mangote que tenha estourado. [A peça] Faz a conexão com o mar e o submarino a ponto de um submarino ter entrado bastante água. Ou pode ter dado pane nas baterias. Algo aconteceu de muito sério par ao submarino não ter forças para vir à superfície”, disse. “Nosso treinamento é muito exercício. Nós passamos por uma bateria de exames, fazemos testes psicológicos, porque os militares que estão dentro do submarino estão aptos a navegar e conviver ali, até mesmo quando ocorrer um sinistro”, completou.

O suboficial Machado ainda comentou como é estar dentro de um submarino. “Um submarino é um ambiente muito compactado. Todo espaço é aproveitado. Nós submarinistas aprendemos a nos adaptar. Nossa vida e dia a dia é o submarino”, disse.

Falta de oxigênio

O submarinista comenta sobre o oxigênio no submarino. "Nesse submarino nós temos três suprimentos de oxigênio. Primeiro respiramos o ar ambiente. A partir do momento que o ar vai ficando saturado, no caso desse sinistro, eles vão ter que liberar as ampolas de oxigênio (...) Nós temos 21 ampolas de oxigênio que, dependendo do sinistro, vão sendo liberadas no ar ambiente para as pessoas irem respirando”, disse.

Ele espera que a tripulação seja resgatada com vida. “Vamos orar e pedir a deus para que as equipes que estão fazendo as buscas encontrem esse submarino e a tripulação toda possa ser resgatada (...) Que tragam eles com vida”, falou.


Mais Lidas