Pandemia do novo coronavírus

Nova Zelândia já faz shows com 50 mil pessoas sem máscaras; Veja o que o país fez para superar a covid-19


Com quase cinco milhões de habitantes, Nova Zelândia teve apenas 26 mortes desde o início da pandemia

Gabriel dos Santos Araujo Dias
Gabriel dos Santos Araujo Dias
Publicado em 26/04/2021 às 9:14
Reprodução
FOTO: Reprodução
Leitura:

Em todo o mundo, especialistas em epidemiologista aplaudem o trabalho do governo da Nova Zelândia no combate à pandemia do novo coronavírus. Com uma série de medidas para conter o avanço do vírus, o país, que fica localizado na Oceania, conseguiu controlar a transmissão do Sars-Cov-2 e já permite até grandes aglomerações. Nesse último final de semana, por exemplo, chamaram atenção as imagens de 50 mil pessoas sem distanciamento e sem máscaras reunidas em um show no estádio nacional do país. O evento foi permitido porque, por lá, os números de novos casos e de novas mortes estão perto de zero.

Com uma população de quase 5 milhões de pessoas, a Nova Zelândia perdeu apenas 26 vidas para a covid-19 desde o início da crise sanitária mundial. O governo do país é amplamente parabenizado por especialistas em epidemiologia de todo o mundo. O que a Nova Zelândia fez? O governo tomou várias ações coordenadas.

Por exemplo, ainda em março de 2020, após os primeiros casos confirmados, todas as fronteiras foram rigorosamente fechadas. Durante seis semanas, nenhum avião decolava ou pousava nos aeroportos do país.

Um lockdown bastante rígido também foi imposto naquele momento e, nos poucos estabelecimentos que podiam abrir, apenas uma pessoa por família era autorizada a entrar para fazer compras essenciais.

Ajuda financeira

Com relação ao fator “dinheiro”, o governo neozelandês destinou R$ 50 bilhões para o socorro financeiro a empresas e trabalhadores. Além disso, a primeira-ministra Jacinda Ardern cortou em 20% o salário dela mesma e de todos os ministros do governo.

O uso de máscaras e distanciamento social foi amplamente defendido pelas autoridades do país, que investiram em campanhas de conscientização para a adesão massiva desses mecanismos de proteção por parte da população.

Além disso, entre outros fatores, a Nova Zelândia também testou massivamente a população, o que era indicado pela Organização Mundial da Saúde, desde o início da pandemia. Testar e identificar quem está com o vírus ativo é uma das formas mais eficientes de isolar pessoas que poderiam transmitir a doença.


Mais Lidas