Quais vacinas são eficazes contra cepa indiana do novo coronavírus que chegou ao Brasil?

Confirmação do primeiro caso da variante B.1.617 no Brasil tem gerado preocupação

ALERTA
Quais vacinas são eficazes contra cepa indiana do novo coronavírus que chegou ao Brasil?

Dados apontam que algumas vacinas' contra a covid-19 são eficazes contra a cepa indiana - Foto: Jailton Jr/JC Imagem

A confirmação da presença de um caso da variante B.1.617 do novo coronavírus, que nasceu na Índia, no Brasil tem deixado os especialistas em alerta. Mellanie Fontes-Dutra, biomédica e pós-doutoranda em bioquímica pela UFRGS, que também coordena a Rede Análise Covid-19, a preocupação tem fundamento, já que a cepa indiana tem um alto poder de transmissão.

"Recentemente, ela foi detectada também em Cingapura e no Reio Unido e, nesses locais, foi observado, paralelamente, um crescimento acelerado de números de novos casos. A partir disso, somado com as mutações que ela [a cepa indiana] apresenta, ela pode ter um aumento na transmissibilidade. Esse aumento na transmissibilidade pode ter consequências muito severas, especialmente em locais como o Brasil em que não há uma adesão completa às medidas de enfrentamento (à covid-19)", apontou. 

A especialista explicou que mais transmissão implica em mais pessoas doentes, gerando uma procura maior pelo sistema de saúde, mais agravamentos, e, consequentemente, mais óbitos. “O sinal de alerta é imenso, porque ela tem esse potencial em ser mais transmissível”, comentou, alertando para a necessidade de controlar as infecções a fim de evitar o colapso dos sistemas de saúde.

>> Cepa indiana: André Longo fala sobre situação em Pernambuco, e cobra medidas do Governo Federal

>> Entenda por que variante do novo coronavírus nascida na Índia é tão perigosa

 

E as vacinas?

No entanto, Mellanie Fontes-Dutra aponta que os dados apontam a eficácia de algumas vacinas na proteção contra essa variante. “A gente tem alguns dados para a Pfizer, Moderna, Astrazeneca e a Covaxin. A Covaxin é uma vacina de vírus inativado, e mostrou manter uma possível proteção importante contra essa variante. As anteriores que eu citei, apesar de também terem um impacto nos anticorpos neutralizantes, que é uma das partes da resposta imunológica, também parecem manter um nível adequado que poderia sugerir manter essa proteção”, explicou.  

A coordenadora da Rede Análise Covid-19 reforça a necessidade de manter corretamente todos os cuidados de prevenção contra a doença, como uso correto da máscara, cobrindo nariz e boca, higienização constante das mãos e distanciamento social.

No Brasil, das vacinas citadas pela especialista, apenas a AstraZeneca e a da Pfizer estão sendo aplicadas pelo Programa Nacional de Imunização. 

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.