ação desastrosa

Veja documento que dá detalhes e nome de quem teria dado ordem para polícia agir em protesto contra Bolsonaro no Recife


A circular é uma das principais provas para a Corregedoria da Secretaria de Defesa Social (SDS) decifrar, de vez, os culpados pela ação desastrosa da PM, que acabou deixando dois trabalhadores cegos de um dos olhos

Elton Ponce Elton Ponce
Elton Ponce
Elton Ponce
Publicado em 05/06/2021 às 17:20
Felipe Ribeiro/JC Imagem
FOTO: Felipe Ribeiro/JC Imagem
Leitura:

Um documento de comunicação interna da Polícia Militar de Pernambuco (PMPE) descreve, em detalhes, quem deu as ordens e como foi a sequência de ações do Batalhão de Choque contra os manifestantes no ato que fazia críticas ao governo Bolsonaro, na área central do Recife, no último dia 29 de maio. A informação foi revelada pela coluna Ronda JC, que teve acesso ao documento.

A circular é uma das principais provas para a Corregedoria da Secretaria de Defesa Social (SDS) decifrar, de vez, os culpados pela ação desastrosa da PM, que acabou deixando dois trabalhadores cegos de um dos olhos.

Acesse a coluna Ronda JC e confira todos os nomes e detalhes da ação desastrosa que culminou na queda do Secretário de Defesa Social de Pernambuco, Antônio de Pádua.

Identificação de quem disparou

A Secretaria de Defesa Social já sabe quem fez os disparos de elastômero, conhecida como “bala de borracha”, contra o arrumador de contêiner Jonas Correia de França, de 29 anos, na ponte Princesa Isabel. O caso aconteceu durante um protesto contra o governo de Jair Bolsonaro no sábado (29), no Centro do Recife. Jonas não participava do ato e foi atingido no olho direito. O resultado da investigação da SDS, responsável pela identificação, teria sido encaminhado ao governador Paulo Câmara. Jonas não participava do ato e foi atingido no olho direito. Para nossa reportagem ele disse que os médicos já deram o diagnóstico de que o arrumador perdeu a visão. O militar identificado é do Batalhão de Choque


Mais Lidas