Cícero Chaves

Como morreu Cícero Chaves, o filho de Chico Anysio? Entenda sintomas, causas e como se prevenir

Discreto e filho de Chico Anysio, Cícero Chaves teve morte inesperada que ganhou repercussão nas redes sociais

Atualizado em 10.07.21, às 12h06
Atualizado em 10.07.21, às 12h06
Publicado em 09/07/2021 às 7:26
Reprodução
FOTO: Reprodução
Leitura:

A morte do filho do humorista Chico Anysio, Cícero Chaves, aos 39 anos, surpreendeu muita gente e ainda repercute nas redes sociais. Como pode um homem jovem, aparentemente saudável, morrer assim? De uma hora para a outra? De acordo com a família, o produtor musical não resistiu a um mal súbito. Entenda o que é este problema e veja quais cuidados podem ser tomados.

O mal súbito é uma parada cardíaca. De acordo com o UOL, a literatura médica classifica o mal súbito quando essa parada acontece até uma hora após o início dos sintomas ou quando ela ocorre em até 24 horas, após a última vez em que a pessoa acometida é vista em suas atividades normais.

>> Assim como Cícero Chaves, veja outros famosos que morreram de mal súbito

Alguns pacientes acabam morrendo instantaneamente. Outros, porém, quando socorridos com muita agilidade acabam se salvando. Estima-se que, a cada ano, cerca de quatro milhões de pessoas morrem no mundo, vítimas de mal súbito, de acordo com a Organização Mundial da Saúde.

Segundo o UOL, em 80% dos casos, o mal súbito advém de problemas cardiológicos, neurológicos ou crises convulsivas. De forma simplificada, a causa do mal súbito está relacionada a um "problema" no coração que impede o fluxo sanguíneo no corpo.

Causas

Várias causas podem ser atribuídas ao mal súbito. Entre elas, doenças metabólicas, como obstruções na artéria do coração, doenças no músculo cardíaco, Acidentes vasculares cerebrais, diabetes, o consumo de drogas, além da obesidade.

Perfil mais comum das vítimas

O perfil mais comum de vítimas de mal súbito é:

  • Homens
  • Com idades entre 60 e 70 anos de idade.

Como no caso de Cícero Chaves, pessoas mais jovens não estão completamente livres do problema. Na juventude, o mal súbito é mais comum de acontecer durante a prática de um exercício físico.

Grupos que precisam ficar bastante atentos:

  • Pessoas que têm na família histórico de infarto ou doença genética do coração;
  • Pessoas que tiveram um infarto recentemente;
  • Pessoas com insuficiência cardíaca.

Sintomas

  • Em geral, os sintomas de um mal súbito são:
  • Dor no peito
  • Falta de ar
  • Fraqueza
  • Tonturas
  • Palpitações
  • Desmaio
  • Paralisia do rosto e da perna num dos lados do corpo (sinal de AVC)
  • Dificuldade para falar ou compreender a linguagem (sinal de AVC)
  • Perda ou obscurecimento da visão -- em um olho só (sinal de AVC)
  • Perda do equilíbrio ou coordenação (sinal de AVC)
  • Dor de cabeça intensa (sinal de AVC)

Conforme explicação de médicos ao UOL, a cada minuto sem socorro, a chance de recuperação diminui de 7 a 10%. A morte cerebral pode acontecer após entre quatro e seis minutos da parada cardíaca. Segundo os especialistas, após 10 minutos de parada, poucas tentativas de reanimação são bem-sucedidas.

O que fazer ao ver alguém tendo um mal súbito?

  1. Mantenha a calma ao ver pessoal tendo o mal súbito;
  2. Peça para alguém acionar imediatamente o serviço do SAMU (192);
  3. Ordene que alguém busque um desfibrilador (aparelho que libera uma descarga elétrica que faz o coração voltar ao normal. Ele funciona como um reset, isto é, "reinicia" o coração);
  4. Enquanto o desfibrilador não chega, inicie as compressões torácicas (massagem cardíaca), comprimindo forte e rapidamente. Isso garante a circulação do sangue e mantém a pessoa viva até a chegada do desfibrilador;
  5. Quando o desfibrilador chegar, utilize o aparelho conforme as instruções de uso, até o SAMU chegar.

Como se prevenir?

  • Procure um médico todas as vezes que observar algum sintoma diferente. Eles podem ser um sinal de alerta e deve ser valorizado;
  • Pratique atividade física ao menos 3 vezes na semana;
  • Invista em uma alimentação rica em frutas, verduras, grãos, proteínas de qualidade;
  • Capriche na hidratação;
  • Evite alimentos ricos em gorduras, açúcares e sal;
  • Controle os níveis de colesterol e doenças como hipertensão e diabetes;
  • Livre-se do tabagismo;
  • Adote medidas para reduzir os níveis de estresse psicossocial
  • Invista em estratégias para dormir bem
  • Reduza a obesidade visceral (gordura abdominal);
  • Invista em um check-up cardiológico e acompanhamento com um cardiologista.

Leia mais sobre saúde na coluna Saúde e Bem-estar, do Jornal do Commercio.

Mais Lidas