Pandemia do novo coronavírus

Pernambuco vai ter grandes eventos de Natal, Réveillon e Carnaval? Secretário de Saúde explica


Por enquanto, estado de Pernambuco tem cerca de 15,15% da população vacinada

Gabriel dos Santos Araujo Dias
Gabriel dos Santos Araujo Dias
Publicado em 22/07/2021 às 17:23
Alexandre Gondim/JC Imagem
FOTO: Alexandre Gondim/JC Imagem
Leitura:

Faltando cinco meses para o final do ano, muitos pernambucanos começam a se perguntar se haverá as tradicionais grandes festas de Natal e Réveillon no Estado, apesar da pandemia do novo coronavírus. Desde o ano passado, grandes eventos têm sido proibidos, em razão do risco de contágio do vírus, o que provocou o cancelamento dos festejos de fim de ano de 2020, do carnaval de 2021, além do São João desde o ano passado.

Nesta quinta-feira (22), questionado pela TV Jornal sobre a autorização desses eventos, o secretário de Saúde de Pernambuco, André Longo, não descartou a possibilidade, mas também não confirmou que eles vão ser possíveis. Ao invés disso, Longo optou por reforçar a importância de aumentar a vacinação contra a covid-19 no Estado.

"Precisamos ampliar o processo de vacinação. Precisamos que doses de vacinas cheguem. Montamos um esquema de distribuição junto aos municípios onde, em no máximo 24h, as vacinas estão disponíveis aos municípios [após a chegada das doses enviadas pelo governo federal ao Recife]. Precisamos da vacina", disse Longo. A resposta foi dada após um pronunciamento transmitido pela internet.

Até a última quarta-feira (21), apenas 15,15% da população pernambucana havia completado o ciclo vacinal, de acordo com o Consórcio de Veículos de Imprensa que analisa dados da pandemia no Brasil.

Pouco antes, ao responder pergunta de outro repórter, Longo criticou fala do ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, que colocou dúvidas sobre a utilização da vacina Sputnik no Plano Nacional de Imunização, o que pode atrasar a entrega das vacinas ao Brasil.

Vacinação

"Temos a convicção de que, se as entregas forem feitas, chegaremos ao final de setembro com percentual de segunda dose [aplicada] próximas ou superiores a 40%", disse o secretário, acrescentando que acredita que a expectativa é de que, até setembro, todos os adultos - com mais de 18 anos - estejam imunizados.

Festas

A secretária-executiva de Desenvolvimento Econômico, Ana Paula Vilaça, que também participou do evento disse que o governo intensificou conversas com agentes do setor de eventos para que, junto com secretarias governamentais, possa criar protocolos, observando experiências de outros países. "Para que de forma segura, possamos retomar esses grandes eventos", concluiu.


Mais Lidas