Vulcão entra em erupção nas Ilhas Canárias neste domingo; especialista afirma que intensidade é fraca, e não há alerta de tsunami

Vulcão de Cumbre Vieja estava adormecido há décadas. Tsunami só seria possível se erupção fosse do tipo "explosiva"

NATUREZA
Vulcão entra em erupção nas Ilhas Canárias neste domingo; especialista afirma que intensidade é fraca, e não há alerta de tsunami

A erupção é de pequeno porte e até o momento não há alerta de tsunami - Foto: Reprodução/Twitter Canarias Ahora

Essa é para mandar nos grupos de WhatsApp e tranquilizar os amigos e familiares. O vulcão Cumbre Vieja, localizado nas Ilhas Canárias, que ficou famoso ao longo da semana após especialistas alertarem que uma erupção a partir dele poderia causar um tsunami com força para atingir o Brasil cuspiu fogo neste domingo (19). Mas calma! Não há razão para pânico. O motivo é que a erupção foi classificada como de "pequeno porte" e "fraca", e não há nenhum alerta para a possibilidade de tsunami.

Erupção

A erupção foi registrada às 11h12, pelo horário de Brasília (15h12, em La Palma). Apesar das imagens fortes, o pesquisador do Instituto de Ciências do Mar da UFC (Universidade Federal do Ceará), Carlos Teixeira, disse ao portal UOL que não há motivo para pânico. Ele classificou a erupção como de pequeno porte. Um eventual tsunami que atingisse estados brasileiros como Pernambuco e Bahia só seria possível se a erupção fosse do tipo "explosiva", que é considerada a erupção de escala mais intensa existente.

Desde ontem, autoridades espanholas, que controlam o arquipélago das Canárias, já se preparavam para a erupção. Alguns moradores da ilha, sobretudo aqueles que têm dificuldade de locomoção, e animais foram retirados da região de risco. 

Após a erupção, as mesmas autoridades alertaram que os moradores não devem se aproximar do local. As larvas que saem de um vulcão são extremamente quentes, podem causar severas queimaduras e até matar. Além disso, é comum que erupções lancem rochas que podem provocar sérias lesões, caso se choquem com o ser humano. 

Pesquisador do Instituto de Ciências do Mar da UFC (Universidade Federal do Ceará), Carlos Teixeira, pede cautela. Em entrevista ao UOL, o professor explicou que, de fato, há a possibilidade de que uma erupção deste vulcão cause um tsunami, mas as chances de que as ondas cheguem com muita intensidade ao Nordeste brasileiro são pequenas. 

Por que não é necessário ter pânico?

Não é qualquer tipo de erupção do vulcão que pode causar o temido tsunami. De acordo com o especialista ouvido pelo UOL, a erupção precisaria ser do tipo explosiva. "Existem diversos estudos já publicados sobre essa possibilidade de tsunami. É uma hipótese real, e ela aconteceria caso houvesse uma erupção explosiva", explicou Carlos Teixeira. Além da erupção explosiva, existem outros dois tipos de explosão: efusiva e mista. O que diferencia as erupções é a intensidade e proporção de lava e rochas que elas emitem. A explosiva é a mais intensa das três. 

Além disso, a distância entre a ilha de La Palma e o Nordeste brasileiro é outro ponto a ser observado. No total, são 4.462 km de distância entre o vulcão e a cidade de São Luís, no Maranhão. "Se essa possibilidade de erupção ocorrer, não significa que vai ser explosiva; se for, não quer dizer que vai chegar aqui com ondas de oito, dez metros; pode chegar aqui bem menor", havia esclarecido o pesquisador na semana passada. 

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.