FATALIDADE

CBTU diz que avaliará se poderá conceder auxílio pedido pela família da menina esmagada por muro do Metrô Recife


Menina de 8 anos participava de uma festa de Dia das Crianças quando foi esmagada por uma placa de concreto que se desprendeu do muro do Metrô Recife

Ísis Lima
Ísis Lima
Publicado em 19/10/2021 às 17:00
 Bruno Campos/ JC Imagem
FOTO: Bruno Campos/ JC Imagem
Leitura:

Representantes da menina que foi esmagada por uma placa de concreto na comunidade do papelão, no bairro do Coque, na área central do Recife, se reuniram nesta terça-feira (19) para um encontro com a Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU). O acidente ocorreu no último sábado (16), quando parte de um muro do Metrô Recife caiu sobre a criança de apenas 8 anos. A vítima participava de uma festa do Dia das Crianças.

O encontro contou com a presença do pai da vítima, representantes da comunidade e da advogada da família, Gabriela Jordão. Ela conta que os pedidos de auxílio foram negados neste primeiro momento. "Infelizmente eles não puderam atender as nossas solicitações de pronto e pediram para aguardar as instâncias competentes. Nós pedimos cesta básica para a família porque tem dois filhos menores e é uma família que está em situação de vulnerabilidade. Pedimos também transporte para a família fazer essa ponte hospital-casa. Pedimos também assistência psicológica porque a mãe e a família estão muito abaladas com a situação", contou a advogada.

>> Mãe de menina ferida em queda de muro do Metrô do Recife chora ao lembrar como a filha estava após acidente

De acordo com Gabriela Jordão, a defesa ainda pediu que a CBTU realize a manutenção do muro. "Pedimos também a manutenção do muro para que evite outros acidentes dessa natureza. Eles disseram que fazem a manutenção só que pelo que a gente vê, a olho nu, essa manutenção nunca foi feita naquele entorno", disse.

Sobre as reivindicações, a companhia prometeu uma resposta definitiva até sexta-feira, dia 22. O ouvidor e articulador externo da CBTU, Marcelo Nóbrega, explica porque não foi possível dar uma resposta imediata sobre os pedidos. "Foi feito o pedido hoje. Está sendo analisado pelos nosso superintendentes. Por ser uma empresa pública, existem os seus entraves. São decisões internas que o superintendente está tomando. Ele tem que analisar juridicamente para ver se pode atender esse pedido", afirmou.

O morador da comunidade do papelão que resgatou a menina irá prestar depoimento nesta terça-feira, após abertura de notícia-crime contra a CBTU.

Estado de saúde

A menina segue internada no Hospital da Restauração em uma unidade de terapia intensiva (UTI). Ela respira com ajuda de aparelhos e está sedada. De acordo com a advogada Gabriela Jordão, ainda não há laudo neurológico sobre o quadro da menina, mas ela abriu os olhos por um breve momento. Ela explica que o próximo passo será acionar a justiça.

Relembre o caso

A menina de apenas 8 anos participava de uma festa, no sábado, em comemoração ao Dia das Crianças, na Avenida Central, no Recife. Por volta das 13h, uma das placas do muro do metrô caiu em cima dela. Jonata Santos, que coordena o projeto Mão Amiga, responsável pelo evento, informou que havia cerca de 150 crianças no local, além de 20 voluntários e familiares dos pequenos.

O acidente ocorreu logo após o almoço das crianças. Em seguida, estava prevista a distribuição de presentes, o que não aconteceu, diante do incidente. A garota foi socorrida por pessoas da comunidade. Inicialmente, para o Imip e, depois, diante da gravidade do caso, levada para o Hospital da Restauração. "

Segundo Jonata Santos, mais de 8 pessoas correram para levantar a placa de concreto de cima da criança.

Revoltados com o acidente, nesta segunda-feira (18), moradores da comunidade planejam um ato para cobrar providências da Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU).


Mais Lidas