POLÍTICA

Facebook e Instagram vão mostrar aviso em postagens sobre eleições


Usuários serão redirecionados para a página da Justiça Eleitoral

Agência Brasil
Agência Brasil
Publicado em 27/10/2021 às 20:17
Marcello Casal Jr/ Agência Brasil
FOTO: Marcello Casal Jr/ Agência Brasil
Leitura:

A partir das próximas semanas, os usuários, tanto do Facebook como do Instagram, aqui no Brasil, vão ver um aviso nas postagens que tratam de eleições, sendo redirecionados para a página da Justiça Eleitoral.

Essa novidade, esse rótulo, é um trabalho conjunto das redes sociais com o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para combater a desinformação e proteger o processo democrático, ajudando as pessoas a terem acesso a informações confiáveis sobre a votação. É o combate às fake news na prática.

Segundo comunicado da empresa, desde 2016 o número de funcionários que atuam na área de segurança e integridade das plataformas foi quadruplicado, passando para mais de 40 mil pessoas.

No ano passado, durante as eleições municipais, as redes sociais já atuaram estabelecendo regras de transparência da publicidade de candidatos.

Para se ter uma ideia, foram removidas mais de 140 mil peças de conteúdo do Facebook e Instagram aqui no Brasil pela violação das políticas de interferência na votação antes do primeiro turno da eleição. Cerca de três milhões de pessoas com mais de 16 anos, ou seja, que podiam votar, clicaram para ver mais informações sobre a eleição nos dias que antecederam a votação.

ELEIÇÃO PASSADA

Segundo a empresa, durante a campanha eleitoral de 2020 foram rejeitados cerca de 250 mil anúncios sobre política ou eleições que não continham o rótulo "propaganda eleitoral” ou “pago por” direcionados a pessoas no Brasil, os chamados conteúdos impulsionados.

No ano passado, o WhatsApp, outra plataforma pertencente ao Facebook, já havia lançado, em parceria com o TSE, uma conta automatizada para ajudar na circulação de dados oficiais sobre o processo eleitoral e a votação. Além disso, um canal de comunicação com o TSE foi disponibilizado para denunciar contas suspeitas de realizar disparos em massa, o que não é permitido nem nos termos de serviço do aplicativo, nem pela legislação eleitoral.


Mais Lidas