COVID-19

Afinal, Pernambuco vai ter Carnaval 2022? Veja o que diz o secretário estadual de Saúde


Secretário estadual de Saúde, André Longo, falou sobre a realização do Carnaval 2022 durante coletiva de imprensa nesta quinta-feira (18)

Ísis Lima
Ísis Lima
Publicado em 18/11/2021 às 16:30
Reprodução/YouTube
FOTO: Reprodução/YouTube
Leitura:

Enquanto empresários do setor de eventos, agremiações e até algumas prefeituras já começam a falar sobre a realização do Carnaval 2022 em Pernambuco, o secretário estadual de Saúde, André Longo, em coletiva de imprensa realizada nesta quinta-feira (18), falou sobre a situação.

O Governo de Pernambuco ainda está reticente quanto à realização da folia de momo no próximo ano. O motivo ainda é a pandemia da covid-19. Apesar do avanço da vacinação no Estado, a pandemia ainda não acabou e o vírus SARS-CoV-2 continua em circulação no território brasileiro.

Segundo André Longo, a realização ou não do Carnaval 2022 em Pernambuco está em debate no comitê, que se reúne semanalmente para discutir diversos temas, inclusive a possibilidade de festas de réveillon e o próprio festejo carnavalesco. "Estamos discutindo cenários para esses eventos, mas é certo que neste momento ainda é cedo para tomarmos decisões acerca desses eventos, especialmente do carnaval, que se realiza de forma concomitante, neste ano [2022], no final de fevereiro, com nosso período de maior sazonalidade de ocorrência de doenças respiratórias", comentou.

>> Exclusivo: Prefeito de Olinda confirma que está preparando Carnaval de 2022; veja o que já se sabe

>> Prefeitura do Recife inicia organização do Carnaval de 2022; Isso significa que vai ter carnaval no próximo ano?

Ainda conforme o secretário, os municípios podem fazer seus planejamentos, mas a definição sobre a realização do Carnaval 2022 vai levar em conta as condições sanitárias. "Esses eventos, na maioria, são promovidos pelos municípios. O Governo do Estado entra com o apoio de recursos financeiros e da segurança pública. Os municípios podem fazer seus planejamentos, mas a definição quanto a isso vai levar em conta as condições sanitárias e a segurança sanitária que não traga prejuízo às vidas de pernambucanos e pernambucanas. Esse sempre foi o norte principal do nosso comitê de enfrentamento à Covid-19", afirmou.

Vacinação contra a covid-19

Ainda de acordo com o secretário, independentemente da realização do Carnaval, Pernambuco pretende avançar o máximo possível na vacinação até fevereiro de 2022. "Nosso planejamento para fevereiro independe da realização de carnaval. Nós precisamos chegar em fevereiro com as melhores condições sanitárias possíveis, com segurança sanitária, e para isso a gente precisa de mais de 90% de cobertura vacinal com a segunda dose e com pelo menos 2 milhões de pernambucanos e pernambucanas vacinados (...) já com a dose de reforço tomada", afirmou.

Sobre a retirada da obrigatoriedade do uso de máscaras, André Longo ainda disse que o Estado não quer "dar passos precipitados” e acrescentou que tem observado a experiência de outros países e até mesmo de outros estados que excluíram a adoção de medidas não-farmacológicas no combate à covid-19.

"Terceira dose não tem nada a ver com o Carnaval"

O médico e representante da Sociedade Brasileira de Imunizações, Eduardo Jorge da Fonseca, também participou da coletiva. Ele deixou claro que a aplicação da dose de reforço da vacina contra a covid-19 não tem relação com a realização do Carnaval. "A terceira dose não tem nada a ver com o Carnaval. Foi uma necessidade que se observou que após cinco meses do término do esquema de duas doses há uma redução da proteção e a gente precisa expandir essa proteção com a terceira dose", frisou.

Ele ainda reforçou que não só a vacina é importante no combate à covid-19. "Precisamos garantir que teremos um 2022 mais tranquilo. Para isso, precisamos do esforço e da compreensão de cada um para continuar com as medidas não-farmacológicas, como o uso de máscara. Isso permitirá que Pernambuco continue bem e mais tranquilo. Isso é muito mais importante do que ter ou não ter carnaval, que é a gente garantir que em 2022 teremos emprego, trabalho, normalidade”, completou.


Mais Lidas