ESTADOS UNIDOS

Direito ao aborto é suspenso nos Estados Unidos; procedimento foi permitido constitucionalmente por 49 anos

Suprema Corte dos EUA determinou que o aborto não é mais um direito constitucional

Emília Prado
Emília Prado
Publicado em 24/06/2022 às 14:28 | Atualizado em 24/06/2022 às 15:25
Notícia
AFP
Ativistas pró-aborto protestam em frente à Suprema Corte - FOTO: AFP
Leitura:

A Suprema Corte dos Estados Unidos decidiu nesta sexta-feira (24) que o aborto não é mais um direito constitucional, como foi considerado nos últimos 49 anos no país.

Por seis votos a três, a corte determinou que a interrupção da gestação após 15 semanas será vetada, mesmo em caso de estupro.

VEJA TAMBÉM: Juíza de SC será investigada pela Justiça após induzir menina de 11 anos a desistir de aborto legal

No entanto, a prática não será totalmente proibida no país. Cada estado da nação poderá adotar vetos locais. A lei das 15 semanas, por exemplo, é a seguida no estado do Mississipi desde 2018.

A mudança afeta principalmente as mulheres mais pobres e moradoras dos estados governados por políticos conservadores, como Texas e Flórida.

Desejando ou necessitando do aborto, essas mulheres não terão condições de viajar a outro estado onde o procedimento é permitido para realizá-lo com segurança.

A imprensa americana aponta que ao menos 23 dos 50 estados devem vetar o aborto em seu território.

Comentários

Mais Lidas