NÁUTICO

Técnico do Náutico diz que torcedor fará falta quando o futebol retornar

Equipes de Série B tiveram redução de 30% em parcelas da cotas da Série B

Publicado em 15/05/2020 às 14:29
 Leo Motta/JC Imagem
FOTO: Leo Motta/JC Imagem
Leitura:

Dois meses depois da última partida do Náutico antes da paralisação, o técnico Gilmar Dal Pozzo prevê como vai ficar o futebol depois da pandemia do novo coronavírus e quais dessas mudanças devem afetar o dia a dia do clube alvirrubro.

“Quando o futebol voltar a ativa de novo, talvez a maior diferença que nós vamos sentir é com relação ao torcedor. Se caso fizer os jogos sem a presença deles, nós vamos sentir muito a sua falta. Essa é a grande diferença. Em relação aos jogos, é um cenário que a gente vai poder se posicionar quando voltar. Sobre o protocolo (de segurança), tem os dos clubes, da Fifa e CBF, que todos os clubes vão seguir, seguindo as recomendações. Nós vamos estranhar bastante esse protocolo, mas vamos nos adaptar para à ele para a segurança de todos”, afirmou.

OUÇA A REPORTAGEM DE ANTÔNIO GABRIEL:

Redução de cota

Desde a quinta-feira (14), a Rádio Jornal vem noticiando que as cotas da Série B do Campeonato Brasileiro sofreu um corte de 30%. A reportagem teve acesso à detalhes da redução e de como os valores vão ficar para as equipes que vão disputar a competição, excetuando o Cruzeiro, por optar em receber a cota a partir do Pay Per View, já que tem uma presença maior dos torcedores dentro dessa plataforma.

Nos meses de abril, maio e junho, as cotas televisivas terão uma parcela de cerca de R$ 380 mil. A partir de julho, essa parcela sobe para cerca de R$ 1 milhão. Em tese, as equipes da Série B não perderão nenhum valor, porque o valor subtraído dos próximos três meses serão diluídos nos valores mais a frente.

Mais Lidas