LEMBRANÇA

Ídolo de Vasco e Palmeiras, Edmundo chora ao lembrar do irmão encontrado morto em porta-malas; relembre o caso


''Minha dúvida é se vou ver meu irmão de novo'', afirmou o ex-jogador Edmundo sobre a saudade que sente do irmão

Robert Sarmento
Robert Sarmento
Publicado em 03/10/2021 às 21:21
Reprodução/Inteligência Ltda
FOTO: Reprodução/Inteligência Ltda
Leitura:

O ex-jogador Edmundo chorou ao lembrar do irmão, Luís Carlos Alves de Souza, que foi morto a tiros em um bairro da Zona Norte do Rio de Janeiro. Em entrevista ao podcast Inteligência Ltda, o ídolo do Vasco e Palmeiras revelou que deseja ver o irmão outra vez e abraçá-lo. Além disso, aos prantos, ele lembrou que não pôde estar presente durante o enterro. Na época, o brasileiro atuava no Japão. Segundo Edmundo, o irmão era envolvido com drogas.

"Já passei pela Igreja evangélica, pela Católica, pela Umbanda e me encontrei no Kardecismo. Minha dúvida é se vou ver meu irmão de novo, quero poder abraçá-lo mais uma vez. Não pude estar no enterro. Foi em 2002 e eu estava no Japão. Ele se envolveu com drogas e com pessoas erradas'', lamentou o ex-atleta profissional de futebol.

Religião

Apesar de não falar se é frequentador assíduo e crente de alguma doutrina religiosa, Edmundo contou que tentou várias delas para conseguir ter contato com o irmão, pois lembra que era muito próximo dele e sente muita saudade.

> Vasco x Cruzeiro: Globo não registra gol anulado, troca placar e descobre empate depois; veja vídeo

''Não sei se sou mesmo kardecista, mas gosto da doutrina. Da minha mãe e do meu pai, eu pude me despedir, mas não consigo me despedir do meu irmão. Sinto saudade dele todos os dias", disse Edmundo na entrevista.

Relembre o caso

Em novembro de 2002, Luís Carlos Alves de Souz foi encontrado morto no porta-malas de um carro. Ele tinha 26 anos de idade. O crime teria sido cometido por traficantes, mas nunca foi solucionado. “Embora eu não seja tão amoroso, não sou de demonstrar muito… Nós éramos unha e carne, ficávamos 24 horas por dia juntos e o futebol me afastou dele. O futebol também não deixou eu me despedir dele”, rememorou o ex-jogador Edmundo.


Mais Lidas