Grande Recife

Justiça nega habeas corpus a suspeito de provocar acidente para matar a ex


Inquérito aponta que o acidente em que a engenheira Patrícia Wanderley morreu foi causado de forma proposital pelo ex-companheiro dela

Julio Cirne
Julio Cirne
Publicado em 18/12/2018 às 16:31
Foto: Acervo Pessoal
FOTO: Foto: Acervo Pessoal
Leitura:

Por decisão unânime de três desembargadores do Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE), foi negado nesta terça-feira (18) o pedido de habeas corpus apresentado pela defesa de Guilherme José Lira dos Santos, de 47 anos, suspeito de provocar o acidente de carro que terminou com a morte de sua ex-companheira, a engenheira Patrícia Cristina de Araújo Wanderley, de 46 anos. O caso aconteceu no dia 4 de novembro deste ano, no bairro da Boa Vista, área central do Recife.

Além da negação de habeas corpus, a defesa de Guilherme enfrentou uma nova derrota, já que a Polícia Civil mudou a qualificação penal do caso, passando de homicídio culposo, quando não há a intenção de matar, para homicídio doloso duplamente qualificado, por motivo torpe, além de feminicídio.

Os familiares de Patrícia já esperavam por esse resultado e, em conversa com a reportagem da Rádio Jornal, comemorou a decisão. "(a família) Recebe com muita emoção. Apesar do momento de dor, não deixa de ser uma vitória. Hoje foi feita primeira das etapas de justiça: a manutenção dele preso; o habeas corpus negado. A gente esperava por isso, por causa da evidência nas provas", disse Marcílio Araújo, tio de Patrícia. Confira os detalhes com a repórter Marcela Maranhão.

Ouça:

Relembre o caso

O acidente aconteceu no dia 4 de novembro. Guilherme e a ex-mulher se envolveram em um acidente de carro, na Rua Fernandes Vieira. O veículo onde eles estavam bateu em uma árvore. Patrícia, segundo a polícia, estava sem cinto de segurança e morreu na hora. Guilherme sofreu apenas ferimentos leves.

Na época, o representante de medicamentos disse que perdeu o controle do veículo ao passar no meio fio. No entanto, durante as investigações e depoimentos de familiares da vítima, a polícia chegou à conclusão de que o acidente foi planejado e provocado por Guilherme com a intenção de matar a ex-companheira.

'


Mais Lidas