Saúde

Dermatologista explica os riscos do contato de óleo com a pele


Voluntários se mobilizam para retirar o óleo das praias, mas é preciso tomar alguns cuidados

Ísis Lima
Ísis Lima
Publicado em 21/10/2019 às 14:29
Arnaldo Carvalho/JC Imagem
FOTO: Arnaldo Carvalho/JC Imagem
Leitura:

A chegada de manchas de óleo ao litoral do Nordeste tem mobilizado vários voluntários, que se dispõem a participar de mutirões em praias para tirar o produto da água e da areia. No entanto, especialistas alertam que o contato direto com o petróleo "cru" pode ser prejudicial à saúde. Eles explicam que é preciso tomar alguns cuidados para manusear o produto.

A dermatologista Carolina Coelho conversou com a reportagem da Rádio Jornal e explicou os perigos que o óleo cru podem causar à saúde das pessoas, principalmente quando o produto entra em contato com a pele. Segundo ela, substâncias presentes no óleo podem entrar na corrente sanguínea e causar danos às pessoas.

"Enquanto as autoridades não se pronunciarem oficialmente em relação a que material é esse, o que é recomendado é que (as pessoas) não entrem em contato. Esses voluntários devem usar material de proteção sobre toda a pele: usar botas, usar luvas e usar máscaras", disse a dermatologista. Ainda segundo ela, o contato direto com esse óleo pode causar dermatites e alergias.

Confira os detalhes na reportagem de Juliana Oliveira.

Ouça:

Contenção

A Marinha, a Petrobras e a Transpetro disponibilizaram barreiras de contenção e de absorção, além de mantas absorventes, para conter o avanço de petróleo em Pernambuco. A medida foi resultado de uma reunião realizada nessa quinta (17), na sede da Capitania dos Portos, na área central do Recife.

Em São José da Coroa Grande, a Prefeitura também está combatendo o avanço do petróleo. Máquinas e equipamentos estão sendo disponibilizados para uma possível retirada dos resíduos do barco e posterior transporte dele para um aterro industrial. Pescadores da região se disponibilizaram a ajudar no monitoramento das praias.

Praias que foram afetadas em Pernambuco*

  • Boa Viagem - Recife - oleada/vestígios esparsos
  • Praia Del Chifre - Olinda - oleada/vestígios esparsos
  • Candeias - Jaboatão dos Guararapes - oleada/vestígios esparsos
  • Piedade - Jaboatão dos Guararapes - oleada/vestígios esparsos
  • Praias de Gamboa - Ipojuca - oleada/vestígios esparsos
  • Praia de Nossa Senhora do Ó - Ipojuca - oleada/vestígios esparsos
  • Porto de Galinhas - Ipojuca - oleada/vestígios esparsos
  • Pau Amarelo - Paulista - oleada/vestígios esparsos
  • Conceição - Paulista - oleada/vestígios esparsos
  • Carneiros - Tamandaré - oleada/vestígios esparsos**
  • Tamandaré - Tamandaré - oleada/vestígios esparsos**
  • Ilha Cocaia - Cabo de Santo Agostinho - oleada/vestígios esparsos
  • Praia do Paiva - Cabo de Santo Agostinho - oleada/vestígios esparsos
  • Praia do Forte Orange - Ilha de Itamaracá - oleada/vestígios esparsos
  • Catuama - Goiana - oleada/vestígios esparsos
  • Ponta de Pedras - Goiana - oleada/vestígios esparsos
  • São José da Coroa Grande - oleada/vestígios esparsos**

*Apesar de afetadas, atualmente não há registro do material nestas praias. Fonte: Ibama

**Em tais localidades, há registro do material.

Saiba mais sobre as manchas de óleo


Mais Lidas