Pernambuco pretende quadruplicar testagens da covid-19

A Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE) adquiriu uma máquina de última geração, além de mais testes do tipo RTPCR para diagnosticar a covid-19

CORONAVÍRUS
Pernambuco pretende quadruplicar testagens da covid-19

O método é resultado de uma parceria com o Instituto Aggeu Magalhães (IAM/Fiocruz-PE) - Foto: SES-PE

A compra de uma máquina automatizada vai ampliar a capacidade de testagem “padrão ouro” da covid-19 em Pernambuco. A informação foi dada pela Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE). A expectativa é de que com a máquina em uso, a capacidade de testagem pule para 42 mil por semana, quatro vezes mais do que a situação atual. Também estão sendo adquiridos pelo governo 120 mil testes do tipo RTPCR. 

"Estamos adquirindo outros 120 mil testes e uma máquina de última geração que quadruplicar nossa capacidade de processamento desses testes de RTPCR", garantiu o secretário estadual de Saúde, André Longo. 

O exame RTPCR é considerado pelos profissionais de saúde o mais eficaz para diagnosticar o novo coronavírus e é recomendado para pacientes que apresentem sintomas entre o terceiro e o décimo dia do início das reações. 

A amostra para identificar o material genético do vírus nos laboratórios é retirada do nariz ou da garganta.  

André Longo, secretário Estadual de Saúde, enfatiza os esforços para identificar os infectados em Pernambuco. “Estamos ampliando permanentemente nossa capacidade de testagem. No início de março, o nosso laboratório público, o Lacen, fazia apenas uma pequena quantidade de exames por semana. Hoje, a nossa capacidade semanal é de mais de 10 mil exames e já realizamos cerca de 80 mil testes nos últimos três meses, o que coloca Pernambuco entre os estados que mais realizaram testes da covid-19", contou.  

Dados oficiais indicam que desde março foram realizados cerca de 81.500 testes para covid-19. 

Volta da economia pede cautela

Jailson Correia, secretário de Saúde do Recife, afirma que a retomada das atividades econômicas requer cuidados. “Nesse novo normal, o comportamento não pode ser como era antes. Nós precisamos adotar esses novos hábitos todo o tempo. Quem precisa sair de casa porque o seu segmento da economia está reabrindo com os protocolos, precisa respeitar esses protocolos até que nós tenhamos uma das duas coisas: ou a imunidade natural na maioria da população ou a gente espera que aconteça antes uma vacina disponível para poder controlar a covid-19. Enquanto isso, nós quase que certamente conviveremos com novas ondas [de contaminação], só que o tamanho dessas novas ondas depende de nós, depende de que a gente, de maneira cautelosa, na retomada das atividades que a gente possa ter os protocolos adotados em cada serviço”, afirmou.  

Sintomas 

O chefe do setor de infectologia do Hospital Universitário Oswaldo Cruz (HUOC), o médico Demetrius Montenegro comenta que sintomas como perda de olfato e paladar se tornaram mais comuns quando o novo coronavírus passou a infectar pacientes nos países ocidentais. "Interessante que essa alteração no sistema olfativo com perda de olfato e paladar passou a ser mais descrito depois que a pandemia começou a aumentar nos países ocidentais e hoje é quase que uma marca registrada dessa doença a perda desses sentidos. Às vezes as pessoas não têm nada e dizem que pararam de sentir cheiro e o sabor das comidas. Quando faz o exame, dá positivo. A questão da dor de cabeça, às vezes bem prolongada e de forte intensidade e a diarreia, quando a pandemia ainda estava restrita à China, a dor de cabeça e a diarreia eram em torno de 3% a 5%. Hoje, a gente já vê num percentual bem maior do que isso, na prática”, disse.

Ele também falou sobre o quadro de pacientes que apresentam evolução mais grave da covid-19. “Os pacientes que evoluem para um quadro mais grave, com insuficiência respiratória, que precisa ir para uma UTI ou um aparelho de ventilação mecânica, normalmente ele apresenta pequenos trombos nos pulmões que faz parte da patologia desta doença. É uma situação que é esperada e que tem medicação para reverter esse quadro", explicou.  

O Hospital Universitário Oswaldo Cruz (HUOC) atingiu nesta sexta-feira mais de mil altas de pacientes com covid-19. O hospital foi a primeira unidade de referência estabelecida para atender os casos suspeitos e confirmados da covid-19 no Estado.   

Coronavírus em Pernambuco

Em boletim epidemiológico divulgado nesta sexta-feira (12), a Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE) confirmou 878 novos casos da covid-19 em Pernambuco. Entre os confirmados nesta atualização, 727 são considerados casos leves e 151 se enquadram como Síndrome Respiratória Aguda Grave (Srag). Atualmente, o estado totaliza 43.872 casos, sendo 16.708 graves e 27.164 leves. 

Além dos novos casos, a SES-PE confirmou ainda mais 61 mortes ocorridas desde o dia 05 de maio. Do total, 39 óbitos (64%) ocorreram entre o dia 05 de maio e 07 de junho e 22 (36%) ocorreram desde a última segunda-feira (08.06). Com os números, Pernambuco contabiliza 3.694 mortes pela doença.

Pernambuco registrou ainda, até esta sexta (12), 27.141 pacientes recuperados do novo coronavírus.

O que é coronavírus?

Coronavírus é uma família de vírus que causam infecções respiratórias. O novo agente do coronavírus foi descoberto em 31/12/19 após casos registrados na China.Os primeiros coronavírus humanos foram isolados pela primeira vez em 1937. No entanto, foi em 1965 que o vírus foi descrito como coronavírus, em decorrência do perfil na microscopia, parecendo uma coroa.

A maioria das pessoas se infecta com os coronavírus comuns ao longo da vida, sendo as crianças pequenas mais propensas a se infectarem com o tipo mais comum do vírus. Os coronavírus mais comuns que infectam humanos são o alpha coronavírus 229E e NL63 e beta coronavírus OC43, HKU1.

Como prevenir o coronavírus?

O Ministério da Saúde orienta cuidados básicos para reduzir o risco geral de contrair ou transmitir infecções respiratórias agudas, incluindo o coronavírus. Entre as medidas estão:

  • Lavar as mãos frequentemente com água e sabonete por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização.
  • Se não houver água e sabonete, usar um desinfetante para as mãos à base de álcool.
  • Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas.
  • Evitar contato próximo com pessoas doentes.
  • Ficar em casa quando estiver doente.
  • Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogar no lixo.
  • Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com freqüência.
  • Profissionais de saúde devem utilizar medidas de precaução padrão, de contato e de gotículas (mascára cirúrgica, luvas, avental não estéril e óculos de proteção).
  • Para a realização de procedimentos que gerem aerossolização de secreções respiratórias como intubação, aspiração de vias aéreas ou indução de escarro, deverá ser utilizado precaução por aerossóis, com uso de máscara N95.4

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.