Manifestação

Produtores de eventos protestam no Recife por volta de atividades


Muitos da categoria ainda não estão conseguindo atuar e passam por dificuldades; eles também reivindicam o pagamento do auxílio emergencial

Atualizada às 16h54
Atualizada às 16h54
Publicado em 09/12/2020 às 12:45
Paulo Daniel/Tv Jornal
FOTO: Paulo Daniel/Tv Jornal
Leitura:

Produtores de eventos fazem um protesto em frente ao Palácio do Campo das Princesas, no bairro de Santo Antônio, no Centro do Recife, nesta quarta-feira (9). Eles reivindicam o pagamento de um auxílio emergencial e volta da realização de suas atividades. Devido ao aumento do número de casos da covid-19 e com a proibição de festas, eles estão sem poder atuar. A reivindicação engloba uma série de categorias, como músicos, DJs, técnicos de som, segurança, entre outros profissionais.

O músico Matheus França falou que todos querem uma chance de poder trabalhar. “Nós pedimos uma flexibilização para podermos continuar trabalhando. Aqui tem pais de famílias que foram pegos de surpresa por esse decreto. O mês de dezembro é o mês que nós mais trabalhamos, é o mês que temos a oportunidade de levar uma renda melhor para nossa casa, e foi tirado de nós do nada, sem ninguém esperar”, explicou.

Matheus também explicou a reivindicação em relação ao auxílio emergencial. “Passamos nove meses sem receber esse auxílio emergencial para nossa classe e, até agora, nada. Desde junho que a Lei Aldir Blanc entrou em vigor e foi liberado recursos para nós. Mas até agora ninguém recebeu esse dinheiro”, disse.

Segundo Matheus, a categoria deseja dialogar com os representantes do Governo do Estado. “Queremos ouvir as pautas deles e também mostrar as nossas, nossas dificuldades. Tem que ter uma maneira de englobar tudo. Não podemos esquecer da pandemia também. Não somos contra o isolamento social e os protocolos de segurança. Só queremos trabalhar, de acordo com o momento que está acontecendo”, afirmou.

Resposta do governo

A Secretaria da Casa Civil de Pernambuco informa que uma comissão formada por músicos, produtores e trabalhadores da área de eventos foi recebida nesta quarta-feira (09), no Palácio do Campo das Princesas, pelo secretário-executivo de Articulação e Acompanhamento, Eduardo Figueiredo, e pelo gerente de Interiorização do Desenvolvimento, vinculado à Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Raphael D’emery.

Durante a reunião, os gestores ouviram as reivindicações do grupo e esclareceram quais são as atividades permitidas pelo Decreto Estadual 49.891, de 7 de dezembro deste ano. A categoria, por sua vez, informou que irá protocolar, no Comitê Socioeconômico de Enfrentamento ao Coronavírus, uma proposta de flexibilização do setor.

A Casa Civil destaca que a decisão contida no referido decreto se deu com base no atual momento epidemiológico no Estado, que registrou alta nos indicadores de solicitações de UTI, nos casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), além de aumento nas taxas de ocupação dos leitos. Ressalta-se ainda a importância de seguir os protocolos de segurança com rigor para controle da disseminação do coronavírus.

Ouça a reportagem de Leonardo Vasconcelos:


Mais Lidas