IMUNIZAÇÃO

Com voo saindo do Recife, Brasil vai buscar 2 milhões de doses de vacina contra a covid-19 na Índia


O lote de vacinas foi fabricado pelo laboratório indiano Serum

Da Agência Brasil
Da Agência Brasil
Publicado em 13/01/2021 às 18:08
 Dado Ruvic / Reuters
FOTO: Dado Ruvic / Reuters
Leitura:

Uma missão coordenada pelo Ministério da Saúde vai até a Índia para buscar dois milhões de doses da vacina contra a covid-19 desenvolvida pelo consórcio da farmacêutica britânica AstraZeneca e da Universidade de Oxford. O lote foi fabricado pelo laboratório indiano Serum.

A missão sairia nesta quinta-feira (14) em um avião com partida da cidade do Recife. No entanto, o voo foi adiado para às 23h, desta sexta-feira (15). A viagem até a cidade indiana de Mumbai terá duração de 15 horas. A chegada será no Aeroporto do Galeão, no Rio de Janeiro.

A tripulação do voo se apresentará no aeroporto por volta das 21h30 desta sexta.

Confira a nota do Ministério da Saúde:

A operação logística do Ministério da Saúde com o apoio da Azul para buscar dois milhões de doses da vacina desenvolvida pela Astrazeneca/Oxford teve seu início reprogramado em algumas horas devido a questões logísticas internacionais. A aeronave que cumprirá a missão iniciará sua jornada na tarde de hoje (14), decolando da cidade de Campinas com destino à Recife, de onde partirá para Mumbai, na Índia. Como resultado de um grande esforço conjunto entre os órgãos envolvidos, a operação de trazer os imunizantes ao Brasil será concluída de forma antecipada em relação ao plano original.

Desta forma, o voo que decolaria hoje do Recife para Mumbai foi reprogramado para amanhã, dia 15, às 23h. A aeronave decola de Campinas nesta tarde e deve chegar à capital pernambucana à noite, pernoitando no aeroporto dos Guararapes.

A disponibilidade do porta-voz da companhia para entrevistas também foi reprogramada para esta quinta. A tripulação do voo se apresentará no aeroporto por volta das 21h30 de amanhã (15).

>> Vacina contra a covid-19: Saiba quem receberá primeiras doses em Pernambuco

>> Anvisa alerta para venda de vacinas falsas contra covid-19

>> Vacinação contra covid-19: "Gostaríamos que pudesse se concretizar a partir da próxima semana", diz Longo

>> Secretário critica aglomerações e ameaça fechar praias de Pernambuco

>> Prevendo janeiro mais triste de nossas vidas, pesquisadora pede que população repense aglomerações

>> Covid-19: Pior cepa possível é a má gestão da epidemia, diz epidemiologista da Fiocruz sobre Bolsonaro

Segundo o Ministério da Saúde, os documentos de importação já estão prontos. O procedimento compreenderá apenas a chegada ao país e o carregamento das doses. A carga está estimada em 15 toneladas.

A distribuição da vacina, contudo, só poderá ocorrer após a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) dar a autorização em caráter emergencial. O órgão avalia o pedido feito pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), que firmou parceria com a AstraZeneca e a Universidade de Oxford.

Reunião

A Anvisa informou que a reunião para tomada da decisão sobre a concessão ou não da autorização em caráter emergencial está prevista para este domingo (17). A agência também decidirá sobre a solicitação feita pelo Instituto Butantan.

Caso a Anvisa dê a autorização, a previsão do Ministério da Saúde é que em até cinco dias as vacinas sejam distribuídas aos estados. Para além das duas milhões de doses da vacina da AstraZeneca, o governo informou que estariam disponíveis também, caso a Anvisa permita, mais seis milhões de doses da vacina CoronaVac, do Instituto Butantan em parceria com a farmacêutica chinesa Sinovac.


Mais Lidas