Me arrependo. Não terei coragem de tomar de novo, diz fotógrafo que furou fila da vacina da covid-19 em Jupi, Pernambuco

O fotógrafo recebeu a vacina contra a covid-19, mas não faz parte do grupo prioritário

MEA CULPA
Me arrependo. Não terei coragem de tomar de novo, diz fotógrafo que furou fila da vacina da covid-19 em Jupi, Pernambuco

Fotógrafo brincou enquanto tomava a vacina - Foto: Reprodução/ Internet

Atualizada às 19h08

Após ser criticado por um vídeo em que aparece sendo vacinado contra a covid-19, mesmo sem fazer parte do grupo prioritário, o fotógrafo da Prefeitura de Jupi, no Agreste de Pernambuco, conhecido como Guilherme JG, disse à reportagem do site da Rádio Jornal, estar arrependido por ter furado a fila da vacinação contra a covid-19 no Estado, nesta terça-feira (19). A declaração foi dada por telefone, horas após o episódio. 

Segundo a Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE), a cidade de Jupi recebeu, nesta terça, 136 unidades da vacina para as duas doses de 68 profissionais de saúde que atuam nos serviços da cidade. Guilherme não faz parte desse grupo prioritário.

O fotógrafo foi questionado se iria se pronuncia sobre o caso e disse o seguinte: “Eu me arrependo. Foi uma falta de empatia. Não terei coragem de tomar de novo”. Depois da afirmação, ao ser questionado se, de fato, havia tomado a primeira dose, Guilherme tentou desconversar, negou ter tomado a vacina e pediu para que o assunto fosse esquecido. 

 

>> Vacina que vem da Índia é segura? Qual a eficácia? Tem efeito colateral? Veja o que já se sabe sobre o imunizante

>> Médica explica por que, mesmo com 50% de eficácia, vacina CoronaVac é boa para o Brasil; entenda

>> Covid-19: avião com 270 mil doses da vacina pousa no Aeroporto do Recife

>> Vacina contra a covid-19: Veja como será vacinação no Recife

 

Entenda o caso 

Na cidade de Jupi, no Agreste de Pernambuco, o fotógrafo oficial da prefeitura publicou um vídeo tomando uma vacina e afirmando ter sido imunizado contra a doença. No entanto, o homem não faz parte do grupo prioritário que deve ser imunizado neste momento. A situação foi duramente criticada nas redes sociais.

As doses da vacina chegaram na manhã desta terça-feira 19 na cidade de Jupi. Segundo a Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE), foram encaminhadas 136 unidades da vacina para as duas doses de 68 profissionais de saúde que atuam nos serviços da cidade.  Esse quantitativo de profissionais representa cerca de 1/3 dos trabalhadores de saúde do município. Os outros profissionais serão contemplados assim que houver mais entregas pelo Ministério da Saúde.

A Prefeitura de Jupi ainda não se manifestou sobre o caso. 

Críticas nas redes sociais 

Nas redes sociais, o fotógrafo chegou a postar as fotos feitas durante a solenidade. Nos comentários, os usuários condenaram a postura de Guilherme. 

Após a chegada do imunizante, o Governo municipal deve iniciar imediatamente a imunização, a começar pelos profissionais...

Publicado por Guilherme Jg em Terça-feira, 19 de janeiro de 2021
Internautas criticaram o fotógrafo
Internautas criticaram o fotógrafo
Reprodução/ Facebook

SES-PE pede investigação

A Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE) informou, por meio de nota, que pedirá apoio do Ministério Público de Pernambuco (MPPE) e da Secretaria de Defesa Social (SDS) para investigar o caso.

A SES ainda reforça que, “neste primeiro momento, devem ser imunizados contra a Covid-19 trabalhadores de saúde da linha de frente do enfrentamento ao novo coronavírus, além dos vacinadores, idosos em instituições de longa permanência, pessoas com deficiência institucionalizadas e indígenas aldeados”.

Confira a nota completa:

Sobre o caso de um fotógrafo sendo vacinado, fora do grupo prioritário na cidade de Jupi, no Agreste Meridional de Pernambuco, a Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE) informa que vai solicitar apoio ao Ministério Público de Pernambuco (MPPE) e à Secretaria de Defesa Social para que o caso seja investigado e, se confirmada a imunização fora do grupo prioritário, com desvio de finalidade, os responsáveis sejam punidos.

A SES-PE lembra que pactuou com os municípios pernambucanos, na Comissão Intergestores Bipartite (CIB), o público prioritário da vacinação contra a Covid-19 neste primeiro momento da campanha, de acordo com o plano nacional de vacinação. Neste primeiro momento, devem ser imunizados contra a Covid-19 trabalhadores de saúde da linha de frente do enfrentamento ao novo coronavírus, além dos vacinadores, idosos em instituições de longa permanência, pessoas com deficiência institucionalizadas e indígenas aldeados. Todos já receberam a primeira e a segunda dose para realizar suas ações nessa primeira fase. 

No caso de Jupi, foram encaminhadas 136 unidades da vacina para as duas doses de 68 profissionais de saúde que atuam nos serviços da cidade.  Esse quantitativo de profissionais representa cerca de 1/3 dos trabalhadores de saúde do município. Os outros profissionais serão contemplados assim que houver mais entregas pelo Ministério da Saúde. 

MPPE vai acompanhar vacinação

O procurador-geral de Justiça de Pernambuco (PGJ-PE), Paulo Augusto de Freitas Oliveira, expedirá Recomendação para que, em todo o Estado, os membros do Ministério Público de Pernambuco (MPPE) intensifiquem a fiscalização e o monitoramento da realização da vacinação contra a Covid-19.

O MPPE, por meio da Promotoria de Justiça de Jupi, recebeu a denúncia de que um cidadão, fora do grupo prioritário estabelecido pelo Plano Nacional de Imunização e diretrizes estaduais de vacinação contra a Covid-19, recebeu dose da vacina. "Recebemos essa denúncia por meio de um vídeo apontando que um cidadão fora do grupo recebeu a vacina. Vamos oficiar a Secretaria Municipal de Saúde para prestar esclarecimentos, bem como os profissionais de saúde que realizaram o procedimento, além da delegacia local para apurar conduta penal acerca do caso", disse a promotora de Justiça da cidade Adna Vasconcelos.

Sobre esse fato narrado, o procurador-geral de Justiça entrou em contato com a colega e disponibilizou a equipe do Caop Saúde e seus assessores para o apoio necessário. Além disso, acompanhará a apuração do fato, a fim de também adotar as medidas que se fizerem necessárias na esfera criminal, na hipótese de haver envolvimento de agente com prerrogativa de foro. O MPPE irá instaurar procedimento para apurar a conduta, no âmbito civil e criminal, uma vez que houve o desrespeito às normas contidas no Plano Nacional de Imunização e as pactuações locais acerca do cronograma de vacinação.

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.