Política

Em meio à crise econômica que atinge milhões de brasileiros, Bolsonaro promove churrasco com picanha vendida a R$ 1.799 o quilo


Evento ainda contou com participação de “churrasqueiro dos famosos”, que saiu de Belém do Pará para assar carnes no Palácio do Planalto

Gabriel dos Santos Araujo Dias
Gabriel dos Santos Araujo Dias
Publicado em 11/05/2021 às 9:25
Reprodução
FOTO: Reprodução
Leitura:

A crise econômica causada pela pandemia do novo coronavírus que atinge milhões de brasileiros não afeta o presidente Jair Bolsonaro. No domingo de Dia das Mães, o mandatário escolheu uma picanha vendida a R$ 1.799,99 o quilo para o cardápio de um churrasco à beira da piscina do Palácio da Alvorada, residência oficial da Presidência da República.

Para assar uma carne tão nobre, o presidente convocou um churrasqueiro que atende pelo apelido de Tchê e é conhecido como “o Churrasqueiro dos Famosos” por, de acordo com a Folha de São Paulo, atender celebridades como o artista plástico Romero Britto e o ator Eri Johson. O que chama atenção é que o churrasqueiro é de Belém do Pará e foi a Brasília para o churrasco do presidente.

O valor do quilo da picanha foi apurado pelo blog Cozinha Bruta, do jornal Folha de São Paulo. O frigorífico Goiás, em Goiânia, informou à reportagem que uma peça com cerca de 350g custa aproximadamente R$ 350.

Carne

Na foto publicada nas redes sociais pelo churrasqueiro, aparecem duas peças. Portanto, R$ 1.200,00 por 700 gramas da carne.


Mais Lidas