Caso Roberta

Roberta, mulher trans queimada no Recife, tem alta da UTI, mas permanece em estado grave; veja estado de saúde


Nesta quinta-feira (1º), completa-se uma semana da violenta agressão que deixou 40% do corpo de Roberta queimado; vítima teve os dois braços amputados

Gabriel dos Santos Araujo Dias
Gabriel dos Santos Araujo Dias
Publicado em 01/07/2021 às 12:26
Diego Nigro/JC Imagem
FOTO: Diego Nigro/JC Imagem
Leitura:

A mulher transexual que teve 40% do corpo queimado no Cais de Santa Rita, centro do Recife, na semana passada, permanece internada em estado grave. Roberta Silva, 32 anos, teve o segundo braço amputado nessa quarta-feira (30). Nesta quinta (1º), ela recebeu alta da Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) e foi levada à enfermaria da ala de tratamento de queimados do Hospital da Restauração.

Por causa da gravidade dos ferimentos, Roberta perdeu os dois braços. Ela chegou a ser intubada, mas, agora, respira sem ajuda de aparelhos. Nesta quinta-feira (1º), completa-se uma semana do brutal ataque. A comunidade LGBTQIA+ classifica a violência como um caso de transfobia.

>>> LEIA MAIS: "A morte assombra a gente o tempo todo", diz primeira deputada travesti de Pernambuco, Robeyoncé Lima

O caso

Em conversa com a codeputada estadual Robeyoncé Lima (Psol/Juntas), Roberta explicou que o agressor se aproximou, jogou um liquido inflamável e ateou fogo. À codeputada, Roberta disse que a motivação da agressão foi "discriminação".

A polícia apreendeu um adolescente de 17 anos, suspeito de cometer a violência. Nesta quinta-feira (1º), ele passa por uma nova audiência do processo para prestar esclarecimentos ao juiz, mas permanece internado provisoriamente em uma unidade da Fundação de Atendimento Socioeducativo (Funase) de Pernambuco. Por se tratar de um jovem com menos de 18 anos, o caso segue em segredo de Justiça.


Mais Lidas