Declaração

"Nós queremos, sim, eleições democráticas, limpas", diz Jair Bolsonaro em entrevista a Rádio Jornal

Em conversa com o comunicador Geraldo Freire, o presidente Jair Bolsonaro voltou a falar sobre as eleições de 2022

Publicado em 26/08/2021 às 13:19
Reprodução/Rádio Jornal
FOTO: Reprodução/Rádio Jornal
Leitura:

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido), conversou com o comunicador Geraldo Freire, no programa 'Primeira Página', da Rádio Jornal, nesta quinta-feira (26). Durante a entrevista, ele falou sobre o voto impresso e disse que quer eleições "democráticas e limpas” em 2022. A Proposta Emenda Constitucional (PEC) do voto impresso foi sido derrotada e arquivada na Câmara dos Deputados, quando 229 dos 513 deputados sendo favoráveis, mas eram necessários no mínimo 308 votos. Confira um trecho da entrevista no vídeo abaixo. Você pode assistir ou ouvir a conversa na íntegra no site da Rádio Jornal.

> Jair Bolsonaro decide vetar artigo que previa fundo eleitoral de R$ 5,7 bilhões, diz colunista

> Jair Bolsonaro chama presidente do TSE, Luís Roberto Barroso, de ''filho da puta''; veja vídeo

"Agora, estamos trabalhando em outra frente, porque o que nós queremos são eleições limpas. Ninguém falou que não queremos eleições no ano que vem. Nós queremos, sim, eleições democráticas, limpas, nas quais o Seu Manoel ou a Dona Maria tenham seus votos efetivamente contados", afirmou Jair Bolsonaro na Rádio Jornal.

Vale lembrar que o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), decidiu colocar a PEC do voto impresso em votação pelo plenário, onde também foi rejeitada. Os deputados analisaram o texto original da PEC, de autoria da deputada Bia Kicis (PSL-DF), que pretendia a impressão de “cédulas físicas conferíveis pelo eleitor” independentemente do meio empregado para o registro dos votos em eleições, plebiscitos e referendos.

Pedido de impeachment de ministro

o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) falou sobre a decisão do presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, que rejeitou o pedido de impeachment contra o ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF). O pedido havia sido apresentado pelo presidente, em caráter pessoal, e será arquivado. O pedido havia sido apresentado pelo presidente, em caráter pessoal, e será arquivado. Segundo Jair Bolsonaro, ele está praticamente sozinho nessa disputa entre os poderes.

> Na Rádio Jornal, Bolsonaro fala ao Nordeste, reduto de Lula, em tom manso: 'não queremos guerra civil'

“Qualquer pessoa que fala algo, exagera, extrapola, se tem um plástico no seu carro vincula a mim como se fosse meu porta voz (...) Não acredito em guerra civil, não provocamos e nem queremos isso daí. Lutamos por liberdade de imprensa, pelo cumprimento de todos os artigos previstos em nossa Constituição. O resto é responsabilidade dessa pessoa. Não queiram colocar na minha conta, como alguns tentam fazer o tempo todo", afirmou. Confira abaixo a entrevista na íntegra:

Mais Lidas