DICAS

DIA DO CONSUMIDOR: tudo que você precisa saber para como não cair em fraudes


Segundo a Febraban, os vários tipos de golpes contra os consumidores chegaram a triplicar durante a pandemia de covid-19

Marcelo Aprígio
Marcelo Aprígio
Publicado em 15/03/2022 às 8:24
Notícia
BRUNO CAMPOS / JC IMAGEM
Alguns cuidados podem ser adotados pelo consumidor para evitar as fraudes - FOTO: BRUNO CAMPOS / JC IMAGEM
Leitura:

Nesta terça-feira, 15 de março, é celebrado o Dia Internacional do Consumidor. Por causa disso, muitas lojas, sejam físicas ou online, oferecem descontos em diversos produtos.

Desta maneira, muitas pessoas aproveitam a oportunidade para comprar aquele produto tão desejado, mas é preciso ficar atento para se certificar que realmente a compra é real.

No entanto, no afã de conseguir aquela tão esperada promoção, muitos consumidores acabam tendo enormes prejuízos, se tornando vítimas de golpes e fraudes.

Segundo a Febraban (Federação Brasileira de Bancos), os vários tipos de golpes contra os consumidores chegaram a triplicar durante a pandemia de covid-19.

Como evitar fraudes

Por isso, o diretor-geral do Procon-DF, Marcelo Nascimento, aconselha que o consumidor fique atento na hora das compras.

“Nas lojas presenciais, o consumidor tem que se informar com o lojista, quais são as condições daquele desconto que está sendo ofertado, se aquele produto vai ser aceita a troca em alguma eventualidade, considerando que o lojista físico não é obrigado a trocar produtos, se não estiver com defeito", explica Nascimento.

"Já nas lojas virtuais, os fornecedores são obrigados a trocar esses produtos. O consumidor tem aquele prazo de sete dias após o recebimento do produto para cancelar a compra ou solicitar a troca do produto”, completa.

Além disso, outros cuidados podem ser adotados. Confira abaixo alguns e outros na Coluna Consumidor, do Jornal do Commercio.

1. Desconfie de preços muito baixos

Promoções e ofertas são desejos da maioria dos consumidores, por isso empresas golpistas simulam vendas com preços muito mais baixos que os praticados no mercado.

Logo, a principal orientação do especialista é: desconfiar de ofertas “boas demais para serem verdade”.

“É importante pesquisar ao longo de dias, ou semanas, para conhecer uma média de valores e evitar comprar por muito mais ou muito menos”, orienta Felipe Piris.

2. Conheça a reputação da empresa

Ao ser impactado por anúncios de sites nos quais nunca fez compras antes, é importante procurar conhecer a reputação da loja, preferencialmente com base na avaliação de consumidores que já fizeram negócios com elas.

“O app Confi é gratuito e gera um selo de confiança para lojas com boa reputação segundo a avaliação dos próprios consumidores, considerando mais de 700 critérios de confiabilidade. Ele possibilita acesso a mais de 3 mil lojas certificadas e confiáveis”, destaca Felipe Piris.

3. Gere cartões digitais novos

Em compras online, o especialista recomenda que os consumidores gerem cartões digitais novos a cada transação.

“Após as compras, você pode cancelar esses cartões e os dados não estarão disponíveis para novas compras, evitando ações fraudulentas. Caso prefira pagar via boleto ou PÌX, salve todos os comprovantes de pagamento”, aconselha Felipe Piris.

Segundo o especialista, é importante evitar deixar dados financeiros salvos em lojas virtuais e em dispositivos eletrônicos, como celulares e computadores, além de não utilizar redes Wi-Fi públicas para fazer pagamentos.

“Caso receba promoções por e-mail, não clique nos links. Busque o site oficial da loja e nele procure a oferta. Observe também se o site é certificado e apresenta cadeado de segurança”, orienta o líder da Confi.

4. Saiba identificar se caiu em golpes

Analisar o extrato do cartão de crédito em tempo real ajuda a identificar golpes assim que são cometidos.

“Um detalhe curioso é que transações fraudulentas geralmente se iniciam com valores pequenos, para que o golpista se sinta seguro para desviar valores mais altos posteriormente”, revela Felipe Piris.

Também é importante proteger seus dados pessoais, não os informando para lojas não confiáveis, e monitorar o uso do seu CPF. 

Comentários

Mais Lidas