Audioteca | CONSULTÓRIO

Psiquiatra destaca a importância do funcionamento de hospitais públicos para tratar transtornos mentais


Para o psiquiatra, muitos casos são negligenciados e não são tratados como deveriam por parte da família e suporte público

Publicado em 11/10/2017, às 01:53


Rádio Jornal

Foto: reprodução/internet

O tratamento é fundamental para quem sofre com algum transtorno mental, mas na prática muitos familiares de doentes tem dificuldade em receber assistência, seja pela falta de hospitais e centros especializados ou por aceitação do doente. Segundo o psiquiatra Feliciano Abdon, os casos mais graves de distúrbios psíquicos não são tratados. "Dentre a imensidão dos portadores de transtorno mental, nós temos 3% de doentes graves. Eles são os menos tratados no mundo inteiro", destaca.

O problema se dá não só por falta de atendimento especializado, mas também por conta da falta de reconhecimento por parte do doente, como uma pessoa que sofre com a doença. "Graves porque podem surtar e porque não admitem que são doentes, não aderem ao tratamento e querem fazer tudo que todo mundo faz", argumenta. 



O Consultório do Rádio Livre desta terça-feira (10) tratou sobre "distúrbios psíquicos e a política psiquiátrica de Pernambuco" e além do Dr. Feliciano,  Graça Araújo recebeu o coordenador de saúde mental de Pernambuco, João Marcelo Costa.

Ouça na íntegra:




Em Pernambuco a principal unidade de atendimento psiquiátrico na Região Metropolitana do Recife é o Hospital Ulysses Pernambucano, na Tamarineira, Zona Norte do Recife.


Audioteca

Psiquiatra destaca a importância do funcionamento de hospitais públicos para tratar transtornos mentais



Publicado em 11/10/2017, às 01:53


Rádio Jornal

[IMAGEM]

O tratamento é fundamental para quem sofre com algum transtorno mental, mas na prática muitos familiares de doentes tem dificuldade em receber assistência, seja pela falta de hospitais e centros especializados ou por aceitação do doente. Segundo o psiquiatra Feliciano Abdon, os casos mais graves de distúrbios psíquicos não são tratados. "Dentre a imensidão dos portadores de transtorno mental, nós temos 3% de doentes graves. Eles são os menos tratados no mundo inteiro", destaca.

O problema se dá não só por falta de atendimento especializado, mas também por conta da falta de reconhecimento por parte do doente, como uma pessoa que sofre com a doença. "Graves porque podem surtar e porque não admitem que são doentes, não aderem ao tratamento e querem fazer tudo que todo mundo faz", argumenta. 

O Consultório do Rádio Livre desta terça-feira (10) tratou sobre "distúrbios psíquicos e a política psiquiátrica de Pernambuco" e além do Dr. Feliciano,  Graça Araújo recebeu o coordenador de saúde mental de Pernambuco, João Marcelo Costa.

Ouça na íntegra:

[uolmais_audio 16329782]
[uolmais_audio 16329783]
[uolmais_audio 16329784]
[uolmais_audio 16329785]

Em Pernambuco a principal unidade de atendimento psiquiátrico na Região Metropolitana do Recife é o Hospital Ulysses Pernambucano, na Tamarineira, Zona Norte do Recife.