Notícia | DILMA ROUSSEFF

Dilma promete plebiscito sobre novas eleições gerais caso retorne ao poder


A presidente eleita deu uma entrevista à NBR, TV do Governo Federal, falando sobre a situação política do País

Publicado em 10/06/2016, às 08:49

Rádio Jornal
Postado por Rebeca Montenegro
Foto: Reprodução


Em entrevista exibida na última quinta-feira (9) na NBR, TV do Governo Federal, a presidente eleita Dilma Rousseff prometeu que, se voltar ao compando do País ao fim do processo de impeachment, vai propor a realização de um plebiscito para que os eleitores digam se preferem a organização de novas eleições gerais ainda neste ano. Dilma declarou que não há a menor possibilidade de que seja feito um pacto com o governo de Temer, até porque, segundo ela, Eduardo Cunha continua dando as cartas ao Governo.

Outro ponto abordado foi a política internacional do Brasil, criticada por Dilma por não dar prioridade ao continente africano. A presidente eleita criticou, também, os vazamentos na imprensa de documentos e depoimentos sigilosos da Operação Lava Jato, situação que chamou de "criminosa". Dilma atacou o comportamento da imprensa por ter divulgado, também, informações equivocadas sobre o pagamento do cabeleireiro Celso Camura.

A entrevista foi gravada no último domingo (5). Ontem, momentos antes da exibição, um grupo de funcionários da Empresa Brasil de Comunicação (EBC) divulgou uma nota reclamando dos custos para a gravação da conversa. O documento aponta que a EBC está no vermelho e o conteúdo da entrevista, que conta com mais de uma hora de duração, fere o princípio da imparcialidade. Ouça o flash de Romoaldo de Souza:

 

Recomendados para você

Comentários

Notícia

Dilma promete plebiscito sobre novas eleições gerais caso retorne ao poder



Publicado em 10/06/2016, às 08:49


Rádio Jornal
Postado por Rebeca Montenegro
Foto: Reprodução


Em entrevista exibida na última quinta-feira (9) na NBR, TV do Governo Federal, a presidente eleita Dilma Rousseff prometeu que, se voltar ao compando do País ao fim do processo de impeachment, vai propor a realização de um plebiscito para que os eleitores digam se preferem a organização de novas eleições gerais ainda neste ano. Dilma declarou que não há a menor possibilidade de que seja feito um pacto com o governo de Temer, até porque, segundo ela, Eduardo Cunha continua dando as cartas ao Governo.

Outro ponto abordado foi a política internacional do Brasil, criticada por Dilma por não dar prioridade ao continente africano. A presidente eleita criticou, também, os vazamentos na imprensa de documentos e depoimentos sigilosos da Operação Lava Jato, situação que chamou de "criminosa". Dilma atacou o comportamento da imprensa por ter divulgado, também, informações equivocadas sobre o pagamento do cabeleireiro Celso Camura.

A entrevista foi gravada no último domingo (5). Ontem, momentos antes da exibição, um grupo de funcionários da Empresa Brasil de Comunicação (EBC) divulgou uma nota reclamando dos custos para a gravação da conversa. O documento aponta que a EBC está no vermelho e o conteúdo da entrevista, que conta com mais de uma hora de duração, fere o princípio da imparcialidade. Ouça o flash de Romoaldo de Souza:

[uolmais_audio 15891132]