Notícia | PROPINA

Janot denuncia Eduardo da Fonte (PP-PE) ao STF por corrupção


Procurador geral da República denunciou que o deputado federal intermediou propina para atrapalhar investigações da CPI da Petrobrás

Publicado em 23/06/2016, às 08:13

Rádio Jornal
Postado por Rebeca Montenegro
Foto: Reprodução


O procurador geral da República Rodrigo Janot denunciou na última quarta-feira (22) o deputado federal Eduardo da Fonte (PP-PE) por corrupção junto ao Supremo Tribunal Federal (STF). Da Fonte é acusado de ter intermediado propina para atrapalhar as investigações da CPI da Petrobrás no Senado, sete anos atrás. 

No documento encaminhado ao STF, Janot aponta que Da Fonte foi o responsável pelo contato com o ex-diretor da Petrobrás, Paulo Roberto Costa, para que o ex-senador Sérgio Guerra (PSDB-PE) atuasse para que a CPI não tivesse resultados. Sérgio Guerra morreu em 2014 e teria manipulado a situação para que a CPI não aprofundasse as investigações.

Eduardo da Fonte era próximo de Paulo Roberto e sabia do esquema criminoso da Petrobrás, segundo indicações da Procuradoria Geral da República. Ele não atendeu ligações telefônicas da imprensa após a denúncia. Por meio de nota, a assessoria do deputado declarou que Da Fonte vai responder às denúncias "no tempo e forma devidos perante o Supremo Tribunal Federal". 

Ouça o flash de Romoaldo de Souza:

 

Recomendados para você

Publicidade

Comentários

Notícia

Janot denuncia Eduardo da Fonte (PP-PE) ao STF por corrupção



Publicado em 23/06/2016, às 08:13


Rádio Jornal
Postado por Rebeca Montenegro
Foto: Reprodução


O procurador geral da República Rodrigo Janot denunciou na última quarta-feira (22) o deputado federal Eduardo da Fonte (PP-PE) por corrupção junto ao Supremo Tribunal Federal (STF). Da Fonte é acusado de ter intermediado propina para atrapalhar as investigações da CPI da Petrobrás no Senado, sete anos atrás. 

No documento encaminhado ao STF, Janot aponta que Da Fonte foi o responsável pelo contato com o ex-diretor da Petrobrás, Paulo Roberto Costa, para que o ex-senador Sérgio Guerra (PSDB-PE) atuasse para que a CPI não tivesse resultados. Sérgio Guerra morreu em 2014 e teria manipulado a situação para que a CPI não aprofundasse as investigações.

Eduardo da Fonte era próximo de Paulo Roberto e sabia do esquema criminoso da Petrobrás, segundo indicações da Procuradoria Geral da República. Ele não atendeu ligações telefônicas da imprensa após a denúncia. Por meio de nota, a assessoria do deputado declarou que Da Fonte vai responder às denúncias "no tempo e forma devidos perante o Supremo Tribunal Federal". 

Ouça o flash de Romoaldo de Souza:

[uolmais_audio 15905799]