Notícia | SEGURANÇA ALIMENTAR

A partir de domingo rótulos devem informar produtos que causam alergia


Os dados devem estar em destaque como caixa alta e em negrito

Publicado em 01/07/2016, às 17:14

Rádio Jornal
Foto: Reprodução/ Internet


A partir deste domingo, dia 3 de julho, os rótulos dos alimentos devem conter informações sobre ingredientes que provocam alergias. A norma regularizada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária, prevê que as embalagens de alimentos e bebidas contenham nomes de produtos alérgicos e derivados, entre eles crustáceo, ovo, peixe, soja e leite.

Aqui no estado, a fiscalização vai ser realizada pela Agência Pernambucana de Vigilância Sanitária (Apevisa). De acordo com o órgão, alguns alimentos que foram fabricados antes desse prazo vão poder ser vendidos nos próximos meses. 

Confira os detalhes na reportagem de Juliana Nsacimento: 

“O consumidor não vai entender bem isso e talvez ele procure denunciar tudo que não tenha a citação de alergia na rotulagem. A mesma legislação diz que os produtos que estão no mercado, fabricados até 2 de julho, eles vão permanecer até acabar o estoque”, explicou o gerente geral da Apevisa, Jaime Brito. 

Os dados devem estar em destaque como caixa alta e em negrito, como detalhou Jaime Brito. 

Segundo a Agência Pernambucana de Vigilância Sanitária, caso for encontrada alguma irregularidade, tanto os fabricantes quanto os vendedores podem receber uma multa que varia de R$ 2 mil a R$ 1,5 milhão. 

Comentários

Notícia

A partir de domingo rótulos devem informar produtos que causam alergia



Publicado em 01/07/2016, às 17:14


Rádio Jornal
Foto: Reprodução/ Internet


A partir deste domingo, dia 3 de julho, os rótulos dos alimentos devem conter informações sobre ingredientes que provocam alergias. A norma regularizada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária, prevê que as embalagens de alimentos e bebidas contenham nomes de produtos alérgicos e derivados, entre eles crustáceo, ovo, peixe, soja e leite.

Aqui no estado, a fiscalização vai ser realizada pela Agência Pernambucana de Vigilância Sanitária (Apevisa). De acordo com o órgão, alguns alimentos que foram fabricados antes desse prazo vão poder ser vendidos nos próximos meses. 

Confira os detalhes na reportagem de Juliana Nsacimento: 

[uolmais_audio 15914429]

“O consumidor não vai entender bem isso e talvez ele procure denunciar tudo que não tenha a citação de alergia na rotulagem. A mesma legislação diz que os produtos que estão no mercado, fabricados até 2 de julho, eles vão permanecer até acabar o estoque”, explicou o gerente geral da Apevisa, Jaime Brito. 

Os dados devem estar em destaque como caixa alta e em negrito, como detalhou Jaime Brito. 

Segundo a Agência Pernambucana de Vigilância Sanitária, caso for encontrada alguma irregularidade, tanto os fabricantes quanto os vendedores podem receber uma multa que varia de R$ 2 mil a R$ 1,5 milhão.