Interior | SERTÃO

"Manipulados do PT, PSOL e PSTU", diz Mendonça sobre manifestantes


Ministro da Educação, Mendonça Filho, participou de evento em Petrolina, nesta sexta-feira (17), e foi recebido com protestos

Publicado em 17/03/2017, às 14:04

Rádio Jornal

Foto: Marco Aurélio/ Rádio Jornal Petrolina

O ministro da Educação, Mendonça Filho, entregou nesta sexta-feira (17), em Petrolina, no Sertão de Pernambuco, o prédio da Policlínica Escola à Universidade do Vale do São Francisco. A entrega aconteceu em meio a protestos de alunos e sindicatos que cobraram respostas em relação a diversas propostas anunciadas pelo governo Temer.

O ministro Mendonça Filho chamou manifestantes de manipulados do PT, PSOL e PSTU. “Por conta do engajamento político de alguns vinculados ao PT, PSOL e PSTU e os partidos que manipulam parte dos estudantes brasileiros é que a gente entreva uma obra a comunidade e eles continuam protestando”, disparou o ministro.

“Acho que o direito de protesto é legítimo e democrático. Agora, quem quer protestar não realiza dentro do espaço onde se realiza uma solenidade de inauguração. E eu, pela primeira vez na vida, vi um protesto porque nós estamos vestindo uma comunidade entregando uma obra que passou anos paralisadas”, disse o ministro.



Confira os detalhes na reportagem de Marco Aurélio:

Robson Nascimento, representante da Central Única dos Trabalhadores (CUT) questiona o governo. “Um governo que vem nesse momento fazer uma inauguração de uma policlínica e ao mesmo tempo está retirando o direito da classe trabalhadora de ter a aposentadoria, de ter direito a atendimento à saúde, educação, desde a PEC 55, é contraditório”, criticou. “Nós não vamos nos intimidar e nem parar de mobilizar até que o governo recue das propostas”, completou.  

A obra contou com investimento na ordem de R$ 8,4 milhões do MEC e passou cerca de oito anos para ser concluída e entregue à população.

Barrados 

Foto: Marco Aurélio/ Rádio Jornal Petrolina

Durante a inauguração, alunos da Instituição foram proibidos de entrar na universidade, como informa o acadêmico Arthur Alves. “Hoje, no dia da inauguração, o ministro vem para cá, proíbe os estudantes de entrar, coloca polícia desde o dia interior, viaturas e não deixa os estudantes e nem os usuários do SUS participar”, relatou.

Recomendados para você

Comentários

Interior

"Manipulados do PT, PSOL e PSTU", diz Mendonça sobre manifestantes



Publicado em 17/03/2017, às 14:04


Rádio Jornal

[IMAGEM]

O ministro da Educação, Mendonça Filho, entregou nesta sexta-feira (17), em Petrolina, no Sertão de Pernambuco, o prédio da Policlínica Escola à Universidade do Vale do São Francisco. A entrega aconteceu em meio a protestos de alunos e sindicatos que cobraram respostas em relação a diversas propostas anunciadas pelo governo Temer.

O ministro Mendonça Filho chamou manifestantes de manipulados do PT, PSOL e PSTU. “Por conta do engajamento político de alguns vinculados ao PT, PSOL e PSTU e os partidos que manipulam parte dos estudantes brasileiros é que a gente entreva uma obra a comunidade e eles continuam protestando”, disparou o ministro.

“Acho que o direito de protesto é legítimo e democrático. Agora, quem quer protestar não realiza dentro do espaço onde se realiza uma solenidade de inauguração. E eu, pela primeira vez na vida, vi um protesto porque nós estamos vestindo uma comunidade entregando uma obra que passou anos paralisadas”, disse o ministro.

Confira os detalhes na reportagem de Marco Aurélio:

[uolmais_audio 16166422]

Robson Nascimento, representante da Central Única dos Trabalhadores (CUT) questiona o governo. “Um governo que vem nesse momento fazer uma inauguração de uma policlínica e ao mesmo tempo está retirando o direito da classe trabalhadora de ter a aposentadoria, de ter direito a atendimento à saúde, educação, desde a PEC 55, é contraditório”, criticou. “Nós não vamos nos intimidar e nem parar de mobilizar até que o governo recue das propostas”, completou.  

A obra contou com investimento na ordem de R$ 8,4 milhões do MEC e passou cerca de oito anos para ser concluída e entregue à população.

Barrados 

[IMAGEM2]

Durante a inauguração, alunos da Instituição foram proibidos de entrar na universidade, como informa o acadêmico Arthur Alves. “Hoje, no dia da inauguração, o ministro vem para cá, proíbe os estudantes de entrar, coloca polícia desde o dia interior, viaturas e não deixa os estudantes e nem os usuários do SUS participar”, relatou.