Notícia | OPERAÇÃO

"Acervo Proibido" prende homem suspeito de molestar a filha de 8 anos


Operação Acervo Proibido prendeu um homem suspeito de abusar da filha, em Cabrobó, e outro por armazenar um vasto material com pornografia infantil

Publicado em 13/04/2017, às 14:30

Rádio Jornal

Foto: Reprodução/ Internet

A Polícia Federal divulgou nesta quinta-feira (13) a prisão de dois pernambucanos na operação Acervo Proibido, que investiga a produção e distribuição de pornografia infantil. Um dos suspeitos de 35 anos, morava no bairro do Ibura, na Zona Sul do Recife e foi encaminhado ao Cotel, após ser encontrado um vasto material de conteúdo pornográfico na residência dele.

O segundo foi preso em Cabrobó, no Sertão do Estado e foi encaminhado para a cadeia pública de Salgueiro. Ele também é investigado por abusar sexualmente da filha de apenas oito anos. Como detalha o chefe de comunicação da Polícia Federal, Giovani Santoro. 

A Polícia Federal vai investigar se o homem preso teria gravado algum dos abusos cometidos contra a filha. "Nós não encontramos nenhum material pornográfico infantil nos equipamentos do suspeito. Porém nas conversas e nas mensagens que ele fazia com outras pessoas há a informação de que ele vinha molestando a filha de 8 anos. Isso ainda precisa ser confirmado", disse Giovani. Segundo o assessor, não foi descartada a possibilidade da filha dele passar por exames que possam comprovar os abusos.

A operação Acervo Proibido que teve início em abril de 2015 e abrange vinte cidades brasileiras. Os mandados de prisão foram expedidos nessa quarta-feira (12) no Estado de Pernambuco.



Confira os detalhes:

 

Na última terça-feira dois advogados foram presos em flagrante na Operação Curumim, que também investiga o armazenamento e compartilhamento de material pornográfico infantil.

Giovani Santoro ainda explica que, caso haja a comprovação do compartilhamento por parte desses suspeitos, a pena, que inicialmente é de 4 anos, pode ser duplicada.

Combate

Ainda de acordo com a Polícia Federal, em 2017 já foram realizadas cinco operações de combate a pornografia infantil. Oito mandados de busca e apreensão foram cumpridos, nove suspeitos foram presos em flagrante e seis cidades foram detectadas com registro de pornografia infantil.


Recomendados para você

Publicidade

Comentários

Notícia

"Acervo Proibido" prende homem suspeito de molestar a filha de 8 anos



Publicado em 13/04/2017, às 14:30


Rádio Jornal

[IMAGEM]

A Polícia Federal divulgou nesta quinta-feira (13) a prisão de dois pernambucanos na operação Acervo Proibido, que investiga a produção e distribuição de pornografia infantil. Um dos suspeitos de 35 anos, morava no bairro do Ibura, na Zona Sul do Recife e foi encaminhado ao Cotel, após ser encontrado um vasto material de conteúdo pornográfico na residência dele.

O segundo foi preso em Cabrobó, no Sertão do Estado e foi encaminhado para a cadeia pública de Salgueiro. Ele também é investigado por abusar sexualmente da filha de apenas oito anos. Como detalha o chefe de comunicação da Polícia Federal, Giovani Santoro. 

A Polícia Federal vai investigar se o homem preso teria gravado algum dos abusos cometidos contra a filha. "Nós não encontramos nenhum material pornográfico infantil nos equipamentos do suspeito. Porém nas conversas e nas mensagens que ele fazia com outras pessoas há a informação de que ele vinha molestando a filha de 8 anos. Isso ainda precisa ser confirmado", disse Giovani. Segundo o assessor, não foi descartada a possibilidade da filha dele passar por exames que possam comprovar os abusos.

A operação Acervo Proibido que teve início em abril de 2015 e abrange vinte cidades brasileiras. Os mandados de prisão foram expedidos nessa quarta-feira (12) no Estado de Pernambuco.

Confira os detalhes:

[uolmais_audio 16190697] 

Na última terça-feira dois advogados foram presos em flagrante na Operação Curumim, que também investiga o armazenamento e compartilhamento de material pornográfico infantil.

Giovani Santoro ainda explica que, caso haja a comprovação do compartilhamento por parte desses suspeitos, a pena, que inicialmente é de 4 anos, pode ser duplicada.

Combate

Ainda de acordo com a Polícia Federal, em 2017 já foram realizadas cinco operações de combate a pornografia infantil. Oito mandados de busca e apreensão foram cumpridos, nove suspeitos foram presos em flagrante e seis cidades foram detectadas com registro de pornografia infantil.